Segurança01/02/2018 às 16h04

Pornografia ajudou a infectar 12% das vítimas de malware móvel no Brasil em 2017

Da Redação

A pornografia é uma das principais portas de entrada para ataques maliciosos em dispositivos móveis. Essa constatação foi feita pelo Kaspersky Lab. Segundo o laboratório de análises de segurança da empresa russa, o "mobile porn" contribuiu para alcançar 12% dos usuários brasileiros infectados com malwares em 2017.

Nos ataques, o malware se disfarça como conteúdo pornográfico, como um aplicativo falso de vídeos adultos.

Como representado no gráfico acima, o principal mecanismo que os hackers utilizam por trás do conteúdo é o Clicker/Wap subscriptions. Ele aparece em 45,8% dos ataques ligados aos conteúdos adultos e permite inscrever o usuário em uma assinatura de serviço de valor adicionado ou clicar em links de anúncios que consomem a franquia de celular do usuário. Outro malware bastante utilizado é o cavalo de troia, que rouba informações bancárias (23,88%), faz desbloqueio de instalação de apps indesejados – rooting – (22,38%) e sequestra os aparelhos (6,5%).