Bots01/06/2017 às 16h49

Chatbot de recrutamento da Atento lerá documentação de candidatos

Fernando Paiva

A indústria de call center é uma das que mais emprega no Brasil, especialmente jovens em seu primeiro emprego. Na Atento, todo mês, entre 5 mil e 5,5 mil pessoas são contratadas. Para isso, entre 35 mil e 40 mil candidatos são avaliados. Em 20% dos casos o processo de recrutamento é feito, ao menos parcialmente, por um chatbot que a empresa lançou no ano passado.

“Em 2010, na época do pleno emprego no Brasil, a gente contratava 9 mil pessoas por mês. Percebemos que era necessário montar um processo de fábrica. Criamos um workflow para a contratação de pessoas. Recentemente, quando começou a febre dos bots, logo vimos que poderíamos levar todo aquele workflow para dentro de um bate-papo”, relata Flávio Henrique Ribeiro, diretor executivo de TI, infraestrutura e operações, da Atento.

O chatbot gerou um ganho imediato em eficiência na busca por candidatos. Até então a companhia contava com três ou quatro pessoas encarregadas do processo de recrutamento em cada um dos seus 34 prédios. Com o chatbot foi possível reduzir esse número para dois funcionários por prédio – os outros foram realocados para funções diversas na área de recursos humanos. Além disso, se em 2010 o processo de contratação da Atento levava em média sete dias, agora diminuiu para 36 horas. Hoje ainda é necessário que o candidato leve a sua documentação pessoal e assine o contrato presencialmente. Para acelerar o processo, a Atento vai incorporar ao chatbot uma solução de OCR desenvolvida pela Microsoft para a leitura digital de documentos. Ou seja, os candidatos vão poder enviar sua documentação pessoal por mensagem no Facebook Messenger ou Telegram. A expectativa é de que a nova funcionalidade seja lançada em agosto ou setembro. “Estamos em teste beta. A leitura não pode ter erros porque os dados serão usados para cadastrar o plano de saúde e o vale-transporte do funcionário”, explica Ribeiro.

A adoção do bot também agregou valor à imagem da Atento perante os candidatos a emprego.
“Com o chatbot os candidatos nos veem de forma diferente, porque não precisam mais preencher uma série de formulários”, comenta o executivo. O case do bot de recrutamento foi o vencedor do Prêmio Tela Viva Móvel deste ano na categoria chatbots, tanto na escolha do júri quanto na votação popular.

Helpdesk

Além do bot de recrutamento, a Atento conta com um chatbot para uso interno, com funções de helpdesk, como resgatar ou desbloquear senha da intranet, criar um usuário de telefonia e até liberar uma vaga de estacionamento nos prédios da empresa. Com esse bot a Atento passou a registrar 3 mil tíquetes a menos por mês em seu serviço de helpdesk interno.

Agora a empresa se prepara para oferecer chatbots também para o atendimento dos seus clientes corporativos, conforme noticiado por Mobile Time na semana passada.