Mensageria03/07/2015 às 10h47

Dobra o índice de internautas brasileiros que não costumam enviar SMS

Fernando Paiva

Em um ano, dobrou o índice de internautas brasileiros que não costumam enviar SMS. Em maio de 2014, na primeira pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box sobre uso de SMS, 10,5% dos entrevistados disseram que não têm o hábito de usar esse serviço. Agora, na segunda edição da pesquisa, realizada em junho deste ano, o índice subiu para 22,4%. Nesse percentual estão somadas as pessoas que disseram que enviaram um SMS pela última vez entre um e seis meses atrás (11,7%); há mais de seis meses (3,6%); que não lembravam (6,5%); e que nunca mandaram (0,6%). Na edição anterior da pesquisa não havia sido feito um detalhamento da frequência, perguntando-se apenas se o entrevistado tinha ou não o costume de enviar SMS.

As principais razões apontadas por esse grupo para não usar SMS são a preferência por aplicativos de mensagens instantâneas (42%) e o preço do SMS (37,8%). Note-se que, um ano atrás, o preço do SMS era apontado por apenas 8,5% como principal razão para não usar o serviço. A explicação para o crescimento desse motivo pode estar na migração de boa parte do público que um ano atrás tinha feature phone e agora é dona de um smartphone, passando a ter a opção de usar apps de mensagens, que são gratuitos, em vez do SMS. Na primeira edição da pesquisa, 70,2% dos entrevistados tinham smartphone; na segunda, o percentual subiu para 92%.

Concorrência com apps

A popularização dos apps de mensagens está afetando também o volume de SMS enviados por quem ainda costuma usar esse canal. 78,2% dos entrevistados que utilizam apps de mensagens instantâneas afirmaram que reduziram muito seu uso de SMS depois de adotá-los e 15,9% afirmaram que reduziram um pouco. Apenas 5,2% responderam que não reduziram e 0,7%, ao contrário, aumentaram o uso de SMS depois que começaram a usar apps de mensagens.

Para efeito de comparação, um ano atrás, na primeira edição da pesquisa, 64,4% afirmaram que haviam reduzido muito o uso de SMS; 22,3%, pouco; 10,6%, não reduziram; e 2,7%, ao contrário, aumentaram.

Nesta edição da pesquisa foram entrevistados 1.268 internautas brasileiros, respeitando as proporções por sexo, faixa etária, renda familiar mensal e distribuição geográfica desse grupo no Brasil. Ou seja, é uma pesquisa com validade estatística dentro do universo de pessoas que acessam a Internet, grupo que representa metade da população brasileira. A margem de erro é de 2,8 pontos percentuais.

Esta é a terceira matéria sobre os resultados da pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box: WhatsApp X Messenger X SMS. Ao longo dos próximos dias, outros resultados serão divulgados.