Bots06/01/2017 às 16h27

Chatbot de Natal da Coca-cola criou 900 mil garrafas virtuais personalizadas

Fernando Paiva

A Coca-cola é mais uma grande marca a experimentar chatbots como um novo canal de interação com o consumidor no Brasil. Durante o mês de dezembro, a empresa pôs no ar um chatbot no Facebook Messenger cuja proposta era criar garrafas personalizadas do refrigerante aproveitando o mote da sua campanha natalina: "Neste Natal, agradeça com Coca-cola". 468 mil pessoas interagiram com o chatbot ao longo de dezembro, produzindo cerca de 900 mil garrafas virtuais personalizadas.

"O resultado do bot surpreendeu a area técnica, que não esperava tantos acessos. Chegamos a mexer no backend para aguentar a carga", relata Fernando Tchê, cofundador da Outra Coisa, braço de inovação da agência Artplan e responsável pela criação do chatbot para a Coca-cola.

Para gerar a garrafa, o usuário precisava primeiro conversar com o chatbot. O diálogo era conduzido pelo robô, que apresentava as opções de respostas após cada fala. O objetivo da conversa era envolver o consumidor em torno da ideia de agradecer alguma pessoa querida dando uma Coca-cola, além de coletar informações que poderão ser usadas em campanhas futuras, como a localização do usuário. Após uma breve troca de mensagens, o consumidor era convidado a escolher uma cor para a sua garrafa (vermelha, preta ou verde), um formato de agradecimento (obrigado, obrigada, valeu, gratidão ou tamo junto) e o nome da pessoa homenageada. O resultado era a imagem de uma garrafa de alumínio na cor escolhida e com a frase de agradecimento, que podia ser imediatamente compartilhada pelo Facebook.

Consumidores nas regiões atendidas pela Femsa, distribuidora da Coca-cola, como os estados de São Paulo e Paraná, podiam também encomendar uma garrafa personalizada de verdade. Neste caso, eram direcionados para o site de comércio eletrônico da empresa para efetuar a compra.

"A tendência dos bots é serem impulsionadores do mobile commerce. A compra por impulso vai crescer muito. A partir do momento em que o consumidor interage com o bot, eu consigo retirar dele informações relevantes para aperfeiçoar e tornar mais assertiva a oferta que mando no final da conversa", comenta Tchê.

Retenção e clusters

Das quase 500 mil pessoas que interagiram com o chatbot, 89% seguiram a conversa até o final. E cada uma delas criou em média duas garrafas personalizadas. Interessante notar que 70% da audiência do chatbot foi feminina. E houve uma concentração entre adultos jovens, entre 25 e 44 anos.

Agora, Outra Coisa e Coca-cola estão trabalhando na segmentação das pessoas que interagiram com o chatbot e avaliam a realização de outras campanhas com essa interface para 2017.

Bots Experience Day

No dia 20 de março, Mobile Time organizará a segunda edição do Bots Experience Day, seminário que discute o desenvolvimento do mercado brasileiro de chatbots. O evento acontecerá no WTC, em São Paulo. A programação e mais informações para a compra de ingressos serão divulgadas em breve no site do evento: www.botsexperienceday.com.br