Saúde06/02/2018 às 15h46

Aplicativo aponta risco de infecção pelo HIV ou outras DSTs

Da Redação

Com a aproximação do Carnaval, a prefeitura de São Paulo reapresenta o aplicativo TánaMão (Android, iOS), lançado, primeiramente, em 2015 pelo Programa Municipal de DST/Aids, da Secretaria Municipal de Saúde. Nele, por meio de um questionário simples, o usuário pode avaliar seu risco em relação às Doenças Sexualmente Transmissíveis.

Há oito opções de cliques na primeira página do app. Em “saiba seu risco”, o questionário começa com perguntas gerais (gênero, cor, anos de estudo), e que não precisam ser respondidas, para, em seguida, passar para o questionário mais relevante. Nele, é preciso responder: "com quem se relacionou" (se homem, mulher, travesti ou transexual) e "o que rolou" (sexo oral, anal, abraços e carícias, com ou sem camisinha, etc.). A partir das respostas, o app diz se há risco de HIV ou DST ou não para cada ato especificado anteriormente.

Em seguida, o app sugere onde fazer o teste de HIV ou onde receber a profilaxia pós-exposição (PEP, na sigla em inglês) na cidade de São Paulo.

O aplicativo já tem 4.2 mil downloads e foi desenvolvido pela Metasix, especializada em tecnologias de atendimento e serviços digitais. No momento, o app apresenta o mapeamento GPS dos serviços disponíveis pela prefeitura de São Paulo. No entanto, a empresa pode disponibilizar o app para outras prefeituras com um mapeamento direcionado ao município.