Segurança09/01/2018 às 09h57

ESET identificou 841 vulnerabilidades em Android em 2017

Fernando Paiva

Ao longo do ano de 2017 a companhia de segurança digital ESET identificou 841 vulnerabilidades para Android, somando suas diferentes versões, informa relatório da empresa divulgado esta semana. Essa quantidade representa um crescimento de 61% em comparação com 2016, quando foram identificadas 523 falhas. Desse total, 42% são consideradas críticas e 24% podem levar à execução de códigos maliciosos.

Vale lembrar que o Android corresponde a mais de 80% da base mundial de smartphones. E cerca de metade dos aparelhos com esse sistema operacional ainda utilizam versões antigas, até o Android 6.0. Apenas 0,3% têm o Android 8.0, que conta com funcionalidades mais sofisticadas de segurança, incluindo proteção contra ransomware.

Malwares

O número de variações de malwares para Android identificadas se manteve em aproximadamente 300 por mês ao longo de 2017, informa a ESET. Por outro lado, a quantidade de aplicativos mal-intencionados para Android encontrados pela empresa caiu 47% em comparação com 2016.

O Irã lidera o ranking como o país onde foi detectada a maior quantidade de malwares para Android, correspondendo a 16% do total mundial, seguido pela Rússia (11%) e Ucrânia (7%). O Brasil está na 18ª posição (1,3%). Considerando somente a América Latina, o México lidera (32%), seguido pelo Brasil (12%) e pela Colômbia (9%).

Vale lembrar que os dados se referem somente ao trabalho realizado pela ESET. Em outras empresas de segurança digital os números podem ser diferentes.

iOS

Para o sistema da Apple, a ESET identificou no ano passado 365 vulnerabilidades, 127% a mais que em 2016. Desse total, 60% permitiam a execução de códigos, mas somente 15% são consideradas críticas.