Bots10/03/2017 às 17h29

Bot de entregas é lançado no Brasil

Fernando Paiva

Os casos de uso de chatbots estão se diversificando a cada dia. Bancos, redes varejistas, canais de TV, universidades, marcas de bens de consumo e até cantores sertanejos estão experimentando essa nova interface com o público. Agora, surge mais uma utilização: um serviço de entregas controlado via chatbot. O Play Bot (https://m.me/playdelivery) foi lançado na semana passada dentro do Facebook Messenger pela Play Delivery, empresa de entregas que atua em seis cidades gaúchas, além de Florianópolis, Curitiba, Manaus, Campo Grande e Natal.

O robô da Play Delivery foi construído para atender o consumidor final, o entregador e os próprios funcionários da companhia. O consumidor, por exemplo, pode solicitar uma entrega conversando com o Play Bot: basta informar o tamanho do pacote e os endereços de coleta e de destino. Todo o fluxo do serviço acontece dentro da conversa, até mesmo o pagamento, que pode ser feito com cartão de crédito em uma janela de webview aberta sobre a tela de bate-papo. Pelo próprio mensageiro o usuário acompanha em um mapa a localização do entregador.

Para os entregadores, o bot serve como canal de cadastro na Play Delivery. Todo o processo é feito através do bate-papo, o que inclui o envio de foto, carteira de habilitação e documento do seu veículo (que pode ser uma moto ou um carro), além das respostas a um breve questionário.

Por fim, os funcionários da empresa usam o bot para operações administrativas internas. Eles são previamente identificados, de forma que pessoas de fora da empresa não conseguem realizar as mesmas ações.

Os consumidores também podem usar o bot para indicar o serviço a empresas e amigos. A Play Delivery tem um programa de adesão pela qual remunera todas as indicações feitas, se estas gerarem entregas. Pela primeira entrega, quem indicou o cliente ganha R$ 10. E depois passa a ganhar R$ 1 por cada nova entrega ao longo de seis meses. O dinheiro pode ser transferido para uma conta bancária ou usado como crédito dentro da Play Delivery.

Depois do Facebook Messenger, o plano é levar o robô para outros mensageiros, como o WhatsApp. A programação do Play Bot foi toda realizada internamente, pela equipe de TI da própria Play Delivery. O projeto contou com o engajamento dos três sócios da empresa, o diretor de produto e de tecnologia, André Kautz, o diretor comercial, Edu Kautz, o diretor de operações, Marcos Knewitz.

Bot X App X Site

O Play Bot é mais um canal de contato da Play Delivery com seus clientes. A empresa também oferece seu serviço através de site e aplicativo móvel (Android, iOS). Hoje, a empresa realiza 117 mil entregas por mês. 95% delas são provenientes do site e apenas 5%, dos apps.

Em oito dias de operação, o bot foi acessado por 900 pessoas e recebeu cerca de 50 solicitações de entregas. A expectativa é de que dentro de um ano o robô responda por 20% das entregas da empresa, diz André Kautz. O executivo prevê que, eventualmente, no futuro, os apps poderão ser descontinuados, sendo preteridos pelo robô. "Se o bot crescer mesmo, e diminuir a demanda dos apps, em algum momento a gente vai descontinuá-los, porque não vai valer a pena por conta do custo de manutenção dos mesmos", comenta. Vale lembrar que a cada nova atualização do Android e do iOS os apps móveis precisam ser também atualizados, o que gera um custo.

Expansão nacional

A Play Delivery planeja utilizar o bot como instrumento para a sua expansão para o resto do Brasil. Hoje, a empresa está restrita a poucas cidades porque sua capacidade de treinamento dos entregadores é limitada geograficamente. Porém, a empresa está desenvolvendo um módulo de treinamento remoto, para ser feito através do bot pelos entregadores interessados em aderir ao serviço. Após realizarem as aulas com o chatbot, eles passariam por um teste, também dentro do Facebook Messenger. Caso sejam aprovados, estarão aptos a receber solicitações de entregas. Isso viabilizará que qualquer pessoa, em qualquer canto do País, se torne um entregador da Play Delivery. "Temos mais de 600 motoboys em São Paulo e uns 300 no Rio de Janeiro que se cadastraram pelo site mas que nunca liberamos porque não tínhamos como realizar o treinamento", comenta Kautz.

Bots Experience Day

No dia 20 de março, Mobile Time organiza em São Paulo a segunda edição do Bots Experience Day, seminário dedicado ao mercado de chatbots no Brasil, com palestras de representantes de empresas como Twitter, Oracle, GOL, Esporte Interantivo, Take, Sage, Inbenta, Plusoft, Insite e também de instituições como IME-USP e do governo do estado de São Paulo. Para mais informações sobre a programação e sobre venda de ingressos acesse www.botsexperience.com.br, ou ligue para 11-3138-4619, ou escreva para eventos@mobiletime.com.br