Comércio móvel11/10/2017 às 17h44

Mobile-first é o caminho, diz presidente da Rakuten no Brasil

Henrique Medeiros

A Rakuten possui mais de 100 mil lojas em sua plataforma de e-commerce e agora expande seus negócios para o mobile. A empresa de origem japonesa conta, hoje em dia, com 99% de seus lojistas brasileiros utilizando sites responsivos. Desses, 98% estão aptos a receber usuários de dispositivos mobile. Em conversa com Mobile Time, René Abe, CEO e presidente da companhia no Brasil, apresentou os planos da empresa e como está sua operação brasileira.

“Mobile-first é o caminho”, diz Abe. “Vamos dar um salto de crescimento no Brasil. Muitos comerciantes que têm loja física vão vir para nós. Eles passarão do offline direto para o mobile. Vejo que o omnichannel deve crescer no País, mas ainda está incipiente. Só 5% é omni hoje, mas já estamos abrindo caminho com a nossa API”.

Para apoiar os varejistas rumo às novas tecnologias, a empresa lançou no Brasil uma API aberta, a Rakuten One. Essa ferramenta unifica o seu sistema de pagamento, gateway logístico e hub de integração com marketplaces (Dafiti, B2W, Cnova, entre outros), mas se diferencia por estar livre para qualquer comerciante com uma mensalidade fixa de R$ 99,99.

O executivo cita as transações feitas pelos usuários por meio de suas ferramentas. Em análise realizada em maio, a Rakuten possui mais de 50% de seus compradores vindos do mobile, e o percentual de compras móveis feitas por meio de seu gateway de pagamento, o Rakuten Pay, também está acima de 50%, algo que Abe espera que cresça ainda mais nos próximos meses.

Outro ponto de desenvolvimento do mobile que a corporação vê é no retorno sobre o investimento (ROI), em média 20% maior para os comerciantes que utilizam o programa de fidelidade Rakuten Super Points. Além disso, o tíquete médio em dispositivos móveis é 15% mais alto se comparado com o desktop.