Artigo12/04/2017 às 13h41

Simplificação e integração: os desafios do desenvolvimento de aplicativos móveis corporativos

Stephan Romeder, da Magic

Criar aplicativos móveis para empresas é ao mesmo tempo uma oportunidade e um desafio para os departamentos de TI.

Ao apoiar as equipes de campo usando smartphones e tablets, a TI pode ajudar empresas a ganhar uma vantagem competitiva criando novas eficiências e serviços superiores ao cliente. Mas, a fim de dar suporte à força de trabalho móvel, a turma de TI precisa garantir a informação disponível em tempo real, incluindo dados de produtos, financeiros e de clientes, a partir de ampla variedade de aplicações de negócios. E fica ainda mais complicado: devido ao grande número de dispositivos usados pelos funcionários, a TI precisa desenvolver aplicativos para diversas plataformas, incluindo iOS, Android, Windows Mobile, e outras.

Além dos desafios relacionados às aplicações móveis, existem outros obstáculos a serem superados, incluindo restrições orçamentárias, pressão para entrega mais rápida e necessidade de adaptação às mudanças de processos de negócios e hábitos dos usuários.

Aqui estão duas maneiras pelas quais as empresas podem superar estes desafios:

1) Simplificação de aplicativos móveis

A criação de aplicativos corporativos para dispositivos móveis para vários dispositivos requer conhecimento especializado dos diferentes sistemas operacionais e tecnologias que podem influenciar os recursos de TI e aumentar os custos de desenvolvimento. Cada aplicativo requer o desenvolvimento da interface de usuário específica do cliente, processos de negócios móveis e interações do lado do servidor, incluindo a integração com sistemas back-end. Além disso, quando o middleware é usado para comunicação cliente-servidor e gerenciamento de sessões, outra tecnologia precisa ser dominada para esta finalidade.

A fim de simplificar e agilizar o desenvolvimento, muitas empresas e departamentos de TI optam por usar plataformas de desenvolvimento multicanal para permitir aos usuários aproveitar um único esforço de desenvolvimento para ter apps para vários sistemas operacionais e dispositivos. Isso ocorre porque este difícil trabalho já é incorporado e realizado pela plataforma, facilitando também a evolução dos aplicativos à medida que cada sistema operacional é atualizado ou aprimorado. Além disso, ao oferecer componentes reutilizáveis para módulos comuns que incorporam as melhores práticas de experiência de usuário móvel, os aplicativos podem ser implementados mais rapidamente com menores custos de desenvolvimento e testes.

2) Melhoria da integração de back-end

Ao contrário dos aplicativos para o usuário final, os aplicativos empresariais requerem integração com os sistemas back-end da empresa (ERPs, CRMs etc) para que as informações relevantes possam ser visualizadas e atualizadas em tempo real e para que forneçam valor comercial real aos apps. Por exemplo, se um pedido de vendas é colocado usando um dispositivo móvel, toda uma cadeia de processos é iniciada afetando várias das principais aplicações da empresa. Usando informações de clientes obtidas do CRM, o aplicativo deve se conectar ao sistema ERP para verificar se o produto está disponível. Em seguida, um pedido é enviado para o CRM e sistemas financeiros para verificar se o crédito do cliente é suficiente para cobrir o preço de compra. Se a resposta for positiva, uma fatura será gerada no sistema ERP e o software de gerenciamento de estoque iniciará uma solicitação de entrega do produto. Se todas as etapas tiverem êxito, o representante de vendas receberá uma notificação confirmando a transação - ou seja, "Tudo ok, o pedido está pronto, o produto será entregue no dia x" e pode atualizar o cliente enquanto ainda está no local.

Para atingir esse nível de integração, todos os vínculos necessários com os vários sistemas de back-end precisam ser criados para que todos os processos necessários possam ser lançados nas aplicações. Se isso for realizado por codificação ponto-a-ponto, os programadores necessitarão de conhecimento profundo dos diferentes sistemas de TI para garantir que as informações sejam transmitidas corretamente entre os sistemas usando campos, operações e formatos de dados corretos. Além disso, esses tipos de integrações ponto a ponto complexas são difíceis de documentar e manter, tornando cara a sua manutenção quando modificações são necessárias para os processos de negócios, ou quando um fornecedor muda APIs, ou um ou mais dos sistemas são atualizados.

Felizmente, esses desafios podem ser superados com o uso de uma plataforma de desenvolvimento de aplicativos corporativos móveis que inclua um componente de integração sem código com adaptadores pré-construídos para sistemas de TI populares e funcionalidades de arrastar e soltar para orquestrar processos de negócios. A plataforma de integração deve separar a lógica de regras de negócios das camadas técnicas e de dados, para tornar fácil e econômico manter e atualizar quando são necessárias alterações.

As empresas e os departamentos de TI que desejam acompanhar a crescente demanda por aplicativos empresariais móveis devem sempre aproveitar as abrangentes plataformas de desenvolvimento móvel para facilitar e agilizar o processo e a integração.

Stephan Romeder é diretor geral da Magic Enterprises Europe