Transporte de passageiros12/06/2017 às 14h10

Moovit lança serviço de caronas na Grande São Paulo

Fernando Paiva

O Moovit (Android, iOS), aplicativo de rotas de transporte público, lançou esta semana para seus usuários na Grande São Paulo uma ferramenta de caronas. A Moovit Carpool, como foi batizada, permite que os motoristas paulistas ofereçam assentos em seus carros durante trajetos rotineiros, de ida e volta do trabalho, por exemplo. Essas caronas passam a figurar entre as opções apresentadas pelo Moovit quando um passageiro busca um meio de transporte, junto com as alternativas tradicionais de transporte público, como ônibus e metrô, além do Uber, que também está integrado ao aplicativo. São Paulo é a primeira cidade da América Latina a receber a novidade do Moovit. Além dela, a ferramenta de carona está disponível em Roma, em Lazio e em todas as cidades de Israel, terra natal do aplicativo.

"Vemos São Paulo com um grande potencial para ser um sucesso. Temos uma enorme base de usuários lá. A carona vai poupar muitos minutos das pessoas. Além disso, há milhões de motoristas em São Paulo. A cidade vive congestionada. E a cada dia de semana 20% dos motoristas estão proibidos de dirigir na cidade e procuram uma solução para isso. A carona incentiva as pessoas a mudarem de comportamento”, comenta Itay Gil, vice-presidente do Moovit e responsável pelo projeto do Moovit Carpool. Ele esteve em São Paulo na semana passada e conversou com Mobile Time sobre o assunto.

Para dar certo, uma ferramenta de carona precisa ter um certo equilíbrio entre oferta e demanda, ou seja, neste caso, entre passageiros e motoristas. De acordo com Gil, o ideal é encontrar mais de 15 caronas disponíveis para um determinado trajeto em um período 30 a 35 minutos. “Assim você não precisa ficar atrelado a um único motorista ou passageiro e pode usar o serviço todo dia. Queremos chegar a essa massa crítica”, diz o executivo. Para alcançar essa escala, Gil estima que sejam necessárias algumas dezenas de milhares de usuários diários, o que não deve ser difícil conseguir em uma cidade com o porte de São Paulo.

Vale lembrar que a carona é remunerada, mas o valor arrecadado pelo motorista não gera lucro, apenas reduz os seus custos. O preço é calculado automaticamente pela plataforma, com base na distância, e sempre será menor que aquele de um táxi. Há também um limite de até três assentos por veículo por viagem e cada motorista só pode fazer duas viagens por dia (uma de manhã e outra de tarde/noite). O pagamento é feito via cartão de crédito, cujos dados devem ser preenchidos previamente pelo passageiro dentro do Moovit, no seu smartphone. O motorista é reembolsado uma vez por mês em sua conta bancária. Para promover o serviço neste início de operação, o Moovit vai subsidiar as primeiras caronas em São Paulo, por tempo indeterminado.

Como funciona

Para participar, o motorista precisa baixar um app exclusivo para eles (Android, iOS). Neste app, ele informa os seus pontos de partida e de destino rotineiros, os horários em que costuma sair e voltar e os dias da semana nos quais deseja oferecer carona. É preciso validar seu número de celular e fazer login pelo Facebook. O motorista é convidado também a se descrever brevemente, informar a empresa onde trabalha e seu email corporativo, e fornecer dados básicos sobre o veículo, como placa, modelo e cor, além de definir quantos assentos têm livre (de um a três). O app de motoristas já conta com mais de 50 mil downloads (incluindo os demais mercados onde opera).

Uma vez cadastrado o seu deslocamento diário, ele passa a ficar disponível para as buscas dentro do Moovit. Se algum passageiro se interessar e solicitar carona, o motorista receberá uma notificação. O motorista pode ver o perfil da pessoa no Facebook antes de aceitar ou não a carona. Se aprovar, motorista e passageiro passam a poder se contactar diretamente para acertar os detalhes da carona, como o local e o horário exatos em que se encontrarão.

Os passageiros, por sua vez, encontram as caronas quando buscam por um meio de transporte para um determinado trajeto. A carona é apresentada junto com a foto do motorista no Facebook e  alguns dos seus dados básicos.

Gil explica que a escolha de São Paulo como terceiro mercado no mundo para receber a novidade se deve ao fato de os brasileiros adorarem redes sociais e serem costumeiramente interessados por novidades tecnológicas. Dependendo do resultado obtido na capital paulista, o Moovit levará seu serviço de carona para outras cidades brasileiras.

Análise

Estima-se que cada carro em São Paulo leve, em média, menos de duas pessoas. Ou seja, há sempre assentos livres. Os constantes congestionamentos na cidade, a crise econômica e o próprio rodízio de veículos são outros fatores que tendem a contribuir para o sucesso da ferramenta.

Há, por outro lado, o desafio cultural, ou seja, o de convencer o brasileiro a pegar e ceder carona. Felizmente, para o Moovit, a empresa não está sozinha nessa empreitada. Há também o app Blablacar (Android, iOS), cujo foco está em viagens interurbanas. E os próprios apps de táxi e corridas em carros particulares, como Easy e Uber, que oferecem opções de compartilhamento de viagens com outros passageiros. De acordo com a mais recente pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box sobre comércio móvel no Brasil, 13% dos internautas brasileiros que pedem corridas por aplicativo em seus smartphone já declaram preferir a modalidade de viagem compartilhada.