Smartphones12/09/2012 às 16h34

iPhone 5 tem 4G incompatível com redes brasileiras

Fernando Paiva

O mistério em torno do iPhone 5 terminou na tarde desta quarta-feira, 12, após a apresentação do produto em uma coletiva de imprensa da Apple realizada na Califórnia. Confirmando os rumores que precederam o lançamento, o novo smartphone terá suporte para redes de quarta geração (4G) no padrão LTE, mas, infelizmente para o consumidor brasileiro, tal como no novo iPad, a frequência brasileira (2,6 GHz) não foi contemplada. As novidades positivas são a tela maior (4 polegadas) e o processador quad-core A6. As pré-vendas serão iniciadas nesta sexta-feira, 14, em nove países (EUA, Canadá, Alemanha, França, Inglaterra, Japão, Hong Kong, Cingapura e Austrália) e os aparelhos chegarão às prateleiras uma semana depois pelos preços de US$ 199, US$ 299 e US$ 399 para os modelos com memória de 16 GB, 32 GB e 64 GB, respectivamente, com contratos de dois anos em planos pós-pagos. Em outros 22 países as vendas começarão no dia 28 de setembro: Áustria, Bélgica, República Tcheca, Dinamarcak, Estônia, Finlândia, Hungria, Irlanda, Itália, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Holanda, Nova Zelândia, Noruega, Polônia, Portugal, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suíça e Suécia.

O iPhone 5 terá dois modelos diferentes para redes GSM, cada um operando em frequências diferentes para 4G (LTE). O A1 429 funciona nas bandas AWS e 700 MHz, adotadas nos EUA e no Canadá. E o modelo A1 428 se conecta redes LTE nas frequências de 850 MHz, 1800 MHz e 2100 MHz, disponíveis em teles da Alemanha, Reino Unido, Japão, Austrália, Coréia do Sul, Hong Kong e Cingapura. Ou seja: tal como aconteceu com o novo iPad, a Apple deixou a faixa de 2,6 GHz de fora. Como prêmio de consolação, o novo iPhone 5 é compatível com redes HSPA+ com dupla portadora, consideradas um passo anterior ao 4G e que atingem velocidades de até 42 Mbps. Neste caso, as frequências brasileiras de 3G estão contempladas. A Apple criou uma página específica em seu site com a lista completa de frequências de 4G compatíveis com o iPhone 5.

A conexão por Wi-Fi, por sua vez, será feita com o padrão 802.11n nas frequências de 2,4 GHz e 5 GHz.

Design e câmera

O iPhone 5 é todo feito de vidro e alumínio escovado e estará disponível em duas cores: preto e branco. Com 7,6 mm de espessura, é 18% mais fino que o iPhone 4S. Seu peso, por sua vez, é 20% menor: 112 g. A tela do aparelho foi esticada em relação ao 4S: está mais comprida, porém, manteve a mesma largura. Sua resolução é de 1136x640 pixels e foi adotada novamente a tecnologia retina display, a mesma do 4S.

A câmera traseira terá 8 MP, mesma resolução daquela presente no 4S, mas sua lente será revestida de safira e sua abertura será maior, melhorando as fotos tiradas em ambientes de baixa luminosidade. Além disso, a velocidade de captura das imagens foi acelerada em 40%, graças ao processador mais rápido. Outra novidade no campo fotográfico é a inclusão de uma ferramenta para fotos panorâmicas.

O aparelho vem equipado com três microfones: um na frente, outro atrás e um embaixo. O objetivo é captar melhor a voz do usuário para auxílio ao Siri, seu software de comandos de voz. O fone de ouvido foi remodelado, de maneira a encaixar melhor na orelha e aprimorar a transmissão do áudio.

A bateria aguenta 8 horas de chamadas de voz sobre redes 3G e 225 horas em standby. O conector do iPhone 5 será menor que os anteriores da Apple. Ou seja: não vai dar para usar os carregadores antigos nesse novo aparelho, nem vice-versa, a não ser que se compre um adaptador, vendido separadamente.

iOS 6

Junto com o iPhone 5, a Apple anunciou a chegada do iOS 6, seu novo sistema operacional para dispositivos móveis que estará disponível para download a partir de 19 de setembro no mundo todo. Nele, o serviço de mapas não é mais fornecido pelo Google. O novo app de mapas contém mais de 100 milhões de pontos de interesse, mas resta ver se a região da América Latina está bem atendida ou se foi esquecida, como acontece rotineiramente nas primeiras versões dessas novidades tecnológicas.

Duas novidades parecem ser respostas ao que concorrentes como o Android já oferecem, como a sincronização das tabuletas de navegação do Safari entre os diversos devices do usuário (Macbook, iPad, iPhone etc) e a integração dos contatos e do calendário com o Facebook.

Há mudanças também na organização dos emails, agregando em uma caixa única aqueles de pessoas configuradas como mais importantes. E também um serviço chamado "Passbook", para gerenciamento de cupons e tíquetes com códigos de barra 2D, como cartões de embarque de voos e ingressos de shows.