Jogos13/07/2017 às 18h47

Stop: jogo móvel brasileiro supera 20 milhões de downloads no mundo

Fernando Paiva, de São Paulo*

A Fanatee é um dos raros casos de sucesso de um estúdio brasileiro de jogos móveis. A empresa aposta em games casuais e tem como título mais bem-sucedido uma versão do clássico Stop (Android, iOS), que acumula mais de 20 milhões de downloads no mundo. Atualmente, 95% da receita da empresa é proveniente do exterior e seu maior mercado é os EUA. O foco no mercado internacional é o principal conselho dado por um dos fundadores da empresa, Rogério Silberberg, para novos desenvolvedores brasileiros de games.

“É preciso pensar global. Não dá para lançar um jogo móvel apenas para o mercado brasileiro. Se puder, faça o soft launch já em inglês”, sugeriu, durante painel em evento para desenvolvedores realizado pelo Google em sua sede em São Paulo nesta quinta-feira, 13. A Fanatee tem 30 pessoas em seu escritório no Brasil e outras 20 espalhadas pelo mundo produzindo conteúdo para seus jogos.

O sucesso de Stop não veio de imediato. Na verdade, levou um ano e meio para começar a viralizar, depois do seu lançamento. Isso aconteceu quando a empresa incluiu ferramentas de integração a redes sociais e depois de ter aumentado a quantidade de categorias dentro do jogo – eram 30 inicialmente e agora são mais de 200. Ao mesmo tempo, a empresa passou a investir em publicidade móvel para a aquisição de usuários. “Stop faz bastante sucesso em mercados pequenos, como Uruguai e Áustria”, relata Silberberg. Vale lembrar que o estúdio teve o cuidado de renomear o app de acordo com o nome que o tradicional jogo tem em cada mercado.

CodyCross e CrazyCast

Agora, a nova aposta da Fanatee se chama CodyCross (Android, iOS), um game de palavras-cruzadas que fornece dicas para ajudar os jogadores. Seu público alvo são mulheres acima de 40 anos. O soft launch foi feito no fim de 2016 no Canadá. Com a comprovação das metas de downloads, retenção e engajamento naquele mercado, a empresa fez o lançamento global em março. CodyCross está hoje com mais de 1 milhão de downloads e tende a gerar mais receita que Stop, prevê o executivo.

Mas nem todos os jogos criados pela empresa obtêm o mesmo sucesso. No ano passado, a Fanatee perdeu tempo e dinheiro ao investir em um título chamado CrazyCast, que consistia em um jogo para formar palavras com letras embaralhadas competindo com YouTubers famosos, que gravaram vídeos especialmente para o game. “O soft launch foi feito em inglês e demonstrou que  jogo não retinha e nem monetizava. Trabalhamos nele quase o ano passado inteiri e foi um fracasso total”, conta Silberberg.

*O jornalista viajou a convite do Google