Artigos14/03/2018 às 15h08

A revolução "No Code Integration"

Fernando Ferreira, da Digibee

Transformação Digital (DX) é um dos termos mais usados (e abusados) de todos os tempos, e agora ganha uma nova dimensão com o renascimento do NO CODE & LOW CODE. A pressão para inovar e liderar a “disrupção” do mercado nunca foi tão grande e qualquer vantagem competitiva pode fazer toda a diferença. Entre os vários desafios para as organizações, aprimorar a capacidade de desenvolver apps e integrar sistemas está certamente no topo da lista.

Isso significa não apenas lançar serviços e apps mais rapidamente, mas também entregá-los de forma mais eficaz. Agile e DevOps tem um papel fundamental em aproximar equipes distintas, evoluir processos e lançar produtos centrados no cliente. Mas este é um ciclo contínuo – como a tecnologia pode estimular “iteração” ainda mais rápida entre as áreas de Tecnologia e Negócios, e como consequência gerar experiências digitais mais significativas para clientes finais?

A abordagem NO CODE & LOW CODE não é nova, e tem origem nas ferramentas pioneiras de RAD (Rapid Application Development) nos anos 1970. O NO CODE permite que o chamado “Citizen Developer” opere através de “drag & drop”, enquanto o LOW CODE aumenta a produtividade de recursos técnicos especializados. Entre esses dois extremos, existem várias possibilidades de cooperação entre usuários de negócio e técnicos.

A integração de sistemas é sem dúvida um caso de uso crítico. Sendo um notório “ponto de dor”, a atividade de integração geralmente consome recursos demasiados em projetos. Codificar é muito difícil – cada linha de código implica testar, documentar, sustentar, evoluir... Integrações NO CODE rompem com práticas tradicionais, uma vez que muitas dessas atividades estão incorporadas na nova geração de plataformas – muito menos esforço!

Integrações NO CODE são pelo menos 10 vezes mais rápidas, reduzem custos drasticamente e melhoram a confiabilidade. A inovação digital exige backlogs cada vez mais curtos – ideias devem se tornar produtos e negócios em questão de dias! Ao solucionar o desafio da Integração na sua origem, o NO CODE derruba uma barreira enorme para a transformação digital e libera recursos estratégicos para desafios mais avançados.

Considerando a expansão dos Microserviços e a multiplicação de “conexões” (IoT), a integração NO CODE possui um papel importante na redução de complexidade e maior uso de novas tecnologias. A abordagem também estimula a migração de um ambiente tradicional baseado em “silos” para uma arquitetura moderna e integrada. Nesse sentido, integrações NO CODE são habilitadores fundamentais para a inovação digital.

As organizações baseadas em "arquitetura digital" estão em posição privilegiada para lançar inovações radicais. A consolidação de múltiplas fontes em um "hub", seguido de exposição de serviço para os pontos de contato com o cliente, conduz a experiências “omnichannel” reais. A partir de então, as possibilidades para criar negócios digitais são ilimitadas!

Fernando SC Ferreira, é partner & business developer na Digibee