Pagamentos móveis14/11/2017 às 17h06

Android Pay é lançado oficialmente no Brasil

Henrique Medeiros

O Android Pay (Android) foi lançado oficialmente no Brasil nesta terça-feira, 14. Alessandro Germano, diretor de parcerias estratégicas do Google, enfatizou que o modelo de negócios do m-payment não terá cobrança extra ou porcentagem retirada dos pagamentos.

“Não há nenhuma cobrança de taxa. O modelo de pagamento entre emissor, bandeira e varejista continua o mesmo", explicou o executivo em conversa com Mobile Time. "O Google não terá receita, como os rivais fazem (Apple Pay). Nossa ideia é fortalecer o uso do Android por meio de um sistema de pagamento”.

A apresentação da carteira de pagamentos móveis do Google para o Brasil foi revelada pelo Mobile Time no mês passado, durante o Fórum Mobile+. Com o lançamento, o Brasil é o 17º país a ter acesso ao serviço, que funciona em smartphones com sistema operacional a partir do Android KitKat (4.4) e com NFC para efetuar o pagamento com o celular.

Os outros locais que possuem acesso à tecnologia são Austrália, Bélgica, Canadá, Cingapura, Espanha, Estados Unidos, Hong Kong, Irlanda, Japão, Nova Zelândia, Polônia, Reino Unido, Rússia, Taiwan, República Tcheca e Ucrânia, os dois últimos também receberam o m-payment nesta terça-feira.

Aceitação

Inicialmente, apenas cartões de crédito ou débito da bandeira Visa serão aceitos. Banco do Brasil (crédito e débito), Banco Neon (débito), Caixa (débito), Porto Seguro (crédito) e Brasil Pré-Pagos (débito) são os primeiros emissores que aderiram ao sistema de pagamentos da empresa norte-americana.

Já entre os comerciantes, o sistema de pagamento do Google fechou parcerias com Posto Ipiranga, AM PM, Café do Ponto, Casa Pilão, Carrefour, Casa do Pão de Queijo, Droga Raia, Drogasil, Dzarm, Hering, Hering Kids, Kalunga, PUC, Rei do Mate e Sony para pagamento em comércio de rua. Já para o comércio virtual, o cliente poderá efetuar compras usando a opção Pagar com Google (que armazena os dados bancários para facilitar e agilizar pagamentos online) nos aplicativos iFood, Hotel Urbano, Peixe Urbano e Magazine Luiza, além da próprio Google Play.

Germano ressalta que desde a confirmação do lançamento do Android Pay para o Brasil, em maio, durante a Google I/O, conferência para desenvolvedores da empresa, até meados de outubro e novembro, o Google Brasil trabalhou com integração e testes para trazer a carteira de pagamento ao Brasil.

Em breve, o Google espera que mais bandeiras, comerciantes e bancos brasileiros passem a aceitar o Android Pay. “Bradesco e Mastercard estarão em breve no Pay. Não estão prontos para operar hoje, mas entrarão em breve. Conversas com outros bancos e outras bandeiras estão acontecendo”, completou o executivo.

Pagando com o Pay

Para usar o novo sistema de pagamento, o usuário deve se certificar que seu smartphone Android possui a versão KitKat – ou superior – e que o handset tenha o sensor NFC. Em seguida, ele deve baixar o aplicativo do Android Pay e cadastrar os dados bancários no app. Após seguir todas as etapas, ele poderá encostar o dispositivo em uma maquininha de pagamento que esteja apta para finalizar uma compra. Ao final do processo, o canhoto (voucher) é emitido pela máquina.

Vale frisar que não há limite de gastos nas compras, uma vez que a carteira funciona como substituto do cartão de crédito e débito do usuário. As transações são protegidas pelo sistema de segurança da Visa, Visa Token Service (VTS), que gera um código com um novo número de cartão a cada transação.

Análise

O principal concorrente do Android Pay no Brasil é o Samsung Pay, já que o Apple Pay ainda não chegou aqui. Talvez prevendo o lançamento do Google, a Samsung adicionou há poucas semanas ao seu serviço no País um programa de pontos, para recompensar seus usuários. O Samsung Pay também não cobra taxas extras e tem a vantagem de funcionar com duas tecnologias NFC e MST. Esta última permite o pagamento em qualquer máquina que possua um leitor de tarja magnética.