Comportamento14/11/2017 às 12h01

WhatsApp é o app mais usado pelos brasileiros, diz pesquisa da MMA

Henrique Medeiros

O WhatsApp foi o aplicativo mais citado pelos brasileiros, com 68% da preferência, na pesquisa MMA Mobile Report 2017, elaborada pela própria MMA em parceria com a Kantar. O app de mensageria é seguido pelo Facebook (66%), Instagram (44%), YouTube (21%), E-mail (17%), Google (12%), Facebook Messenger (11%), Uber (11%), Jogos (10%), Itaú (9%), Twitter (11%), Waze (8%), Netflix (7%) e Bradesco (6%). Os consumidores ainda disseram que preferem o WhatsApp (88%) como app de mensageria, ao SMS (3%) e ao Facebook Messenger (6,5%).

Em outro ponto da pesquisa, os 800 entrevistados responderam sobre o consumo de aplicativos: 83% dizem que fazem download de novos aplicativos. A análise também mostra que 79% baixam aplicativos gratuitos. 35% dos consumidores ainda informaram que possuem 10 apps em seus celulares, e que usam em média 8 apps por semana. A média de aplicativos instalados em um mês é de 8,3.

Já em outra questão de múltipla escolha, os entrevistados citaram que usam seus smartphones para fazer as seguintes tarefas: 91% bate-papo; 89%, redes sociais; 89%, ligações; 88%, acesso a e-mail; 78%, leitura de notícias; 77%, publicação de vídeos e fotos; 75%, música; 75%, pesquisa de preços; 72%, navegação via GPS; 54%, administração de finanças (pagar contas, investir, controlar notas); 45%, filmes e séries online; 42%, estudos.

“O próprio consumidor está mudando o seu hábito e usando mais o celular para tarefas do cotidiano”, disse Maura Coracini, head de digital e mídia na Kantar e responsável pela pesquisa. “Por exemplo, as pessoas usam mais o GPS para dirigir para lugares desconhecidos do que para reduzir tempo no trânsito”.

Handsets

O estudo da MMA com a Kantar também comprovou o amplo domínio do mercado nacional do sistema Google Android, com 85% dos usuários, seguido de 12% do iOS, da Apple. Entre as fabricantes, os smartphones Samsung são os mais usados, com 35% de share; já os smartphones da Motorola estão entre 25% dos consumidores; os iPhones da Apple aparecem com 12%; seguidos de LG, com 10%; Nokia, com 4%; e Sony com 3%.