Mensageria16/02/2018 às 18h16

ONGs pedem o fim do Messenger Kids

Da Redação

Dois dias após o Facebook disponibilizar nos Estados Unidos o Messenger Kids para a plataforma Android, a instituição Campaign for a Commercial-Free Childhood (CCFC), composta por educadores, profissionais da área de saúde e pais, apresentou, nesta sexta-feira, 16, uma carta aberta direcionada a Mark Zuckerberg pedindo para que o CEO interrompa com as atividades do aplicativo. Com assinatura de 117 especialistas, a nota alega que várias pesquisas demonstram que o uso excessivo de dispositivos digitais e mídias sociais é prejudicial à saúde de crianças e adolescentes, o que faz com que este novo aplicativo prejudique o desenvolvimento saudável de menores de 13 anos.

“Crianças pequenas simplesmente não estão prontas para terem contas em mídias sociais. Elas não têm idade suficiente para navegar nas complexidades dos relacionamentos sociais do mundo online, que muitas vezes levam a mal-entendidos e conflitos, mesmo entre usuários mais maduros. Elas também não têm uma compreensão totalmente desenvolvida do que é privacidade, incluindo o que é apropriado compartilhar com os outros e quem tem acesso às suas conversas, fotos e vídeos”, diz a nota.

A carta foi assinada por outras quinze organizações além da CCFC, como Common Sense Media, EPIC Privacy, Media Education Foundation, New Moon Girls e Parent Coalition for Student Privacy.

Ao longo da nota, o texto faz referência a uma série de estudos ligados a crianças e adolescentes e o uso excessivo das mídias sociais. “O uso das mídias sociais por adolescentes está relacionado a taxas de depressão significativamente maiores, e os adolescentes que passam uma hora por dia conversando em redes sociais relatam menos satisfação com quase todos os aspectos de suas vidas”, relata um dos estudos. “Alunos do oitavo ano que usam redes sociais por 6-9 horas por semana são 47% mais propensos a reportar que são infelizes do que seus pares que usam menos mídias sociais”, diz outro paper.

Outro estudo citado mostra que meninas entre 10 e 12 anos afirmam que quanto mais elas usam sites de redes sociais como o Facebook, mais provável que elas idealizem a magreza e tenham preocupações com seus corpos. O uso das mídias sociais também estaria associado a hábitos de sono pouco saudáveis.

Petição contra

A CCFC lançou uma petição online pedindo a Zuckerberg o fim do projeto. O objetivo é alcançar até 5 mil assinaturas. Até o fechamento desta reportagem, o grupo contava com 2.827 apoios.

Resposta do Facebook

Em comunicado, o Facebook alega que o app foi desenvolvido para ajudar pais a controlar melhor o que os filhos fazem on-line e trazer mais segurança, e enfatizou que os pais estão no controle das atividades das crianças. Ainda segundo a empresa, o Messenger Kids foi desenvolvido com a ajuda das ONGs National PTA e Blue Star Families, além de respeitar a legislação norte-americana sobre a privacidade on-line das crianças.

Messenger Kids

O Messenger Kids (também disponível para iOS) foi desenvolvido para crianças menores de 13 anos. No entanto, o Facebook afirma que seu grande diferencial é o controle total da agenda de contatos pelos responsáveis, ou seja, a criança só pode falar com uma pessoa ou conta se o adulto autorizar.