Pagamentos móveis17/05/2017 às 17h21

Moip propõe a criação de uma nova conta para pré-pagos, fora do billing das teles

Fernando Paiva

A Moip, empresa de soluções de pagamento digital, desenvolveu um produto que pode viabilizar novos negócios para as operadoras de telecomunicações ao mesmo tempo em que reduz a sua carga tributária. Trata-se da criação de uma conta digital para usuários pré-pagos que ficaria fora da estrutura das teles. Esta conta seria white label, levando a marca de cada operadora, mas seria gerenciada por uma plataforma da Moip, sob as regras do Banco Central.

A ideia vem da Europa, onde a Wirecard, controladora da Moip, vendeu solução similar para operadoras como Orange, Vodafone e Deutsche Telekom. O caso de maior sucesso é a carteira virtual Orange Cash, cujo saldo é usado não apenas para serviços telefônicos, mas para compras no mundo físico, com pagamento por aproximação, usando a tecnologia NFC embarcada nos smartphones.

No Brasil, a principal vantagem de adoção de uma conta como essa é que o ICMS de telecomunicações só seria cobrado quando o crédito fosse efetivamente usado para serviços de telecom, como minutos de voz, tráfego de dados ou SMS. Mas, no caso de serviços de valor adicionado, por exemplo, seria cobrado o ISS, que é muito mais barato. Hoje em dia, todas as recargas são automaticamente taxadas pelo ICMS, independentemente de como o usuário for gastar depois o seu crédito com a operadora.

“Além disso, conseguimos destravar a possibilidade de se fazer negócios com o dinheiro da conta de telecom, o que hoje a carga tributária inviabiliza”, explicou o CEO do Moip no Brasil, Igor Senra, durante palestra no Tela Viva Móvel, na última terça-feira, 16. Ou seja, o dinheiro dessa conta poderia ser usado para comprar quaisquer serviços ou produtos fora do mundo de telecom. Obviamente, as teles, assim como o Moip, ficariam com uma pequena participação percentual nestes casos.

Quanto à recarga, Senra entende que a rede de recarga atual poderia ser adaptada para receber o cash in dessa nova conta, aproveitando a sua capilaridade.