MMA Fórum Brasil 201818/04/2018 às 21h29

Waze aumenta frequência de usuários em lojas através de ações na plataforma

Henrique Medeiros

Durante o MMA Fórum Brasil 2018, em São Paulo, na última terça-feira, 17, a agência de publicidade Publicis, junto com representantes da Medley e do Waze, compartilharam com o público dados de uma campanha da fabricante de medicamentos feita no Waze (Android, iOS). Entre os resultados, houve 71 milhões de impressões do anúncio, ou seja, de visualizações, e o impacto em 100% nos usuários do app no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Como funciona

Imagine sair de uma reunião, em um lugar pouco conhecido, e você lembra que precisa comprar um medicamento. Ao ligar o Waze, você pressiona o microfone e fala “drogaria” ou “farmácia”, e o app faz uma varredura nas proximidades para entregar as opções desses estabelecimentos mais próximos. Com a publicidade, o app apresenta, no topo da busca, opções dessas lojas com os logos específicos, chamando muito mais a atenção. O logo da Medley aparecia bem ao lado do endereço da farmácia ou da drogaria sugerida pelo app. Com isso, essas lojas tiveram 9% mais usuários encaminhados via navegação do Waze. E, após um mês, a frequência nas drogarias e farmácias que vendiam medicamentos da marca aumentou em mais de 70 mil navegações.

Na ação, o Waze entregava a marca em todos os canais de comunicação, desde os banners internos até a indicação em pins (pontos de navegação) e na busca, explicou Gabriela Braga, diretora de negócios da Publicis. Além disso, algumas lojas selecionadas foram envelopadas e ganharam pins e banners da campanha.

Plataforma e cliente

Leandro Esposito, gerente geral do Waze no Brasil, revelou que o principal chamariz para atrair o cliente foi o crescimento de buscas “perto de mim”, um aumento de 304% nos últimos dois anos. Além disso, a maioria das buscas são genéricas: 93% para supermercados mais próximos e 78% para farmácias por perto.

“A cada segundo, dois consumidores usam o Waze para chegar a uma loja. E, em média, o wazer dirige até dez quilômetros de sua casa. O consumidor precisa saber onde está o varejista”, explicou Esposito. “As pessoas ainda não sabem aonde ir quando usam o Waze. Isso para o ponto de vista do varejista é muito forte. Temos a oportunidade de trabalhar o ponto de venda e colocá-lo na frente do consumidor.”

Por sua vez, Vinicius Yassutake, gerente de marcas da Medley, explicou que optou por fazer ações na plataforma por conta de seu orçamento limitado. "O mercado de medicamentos genéricos tem pouca diferença de produto. A disputa está na  guerra de preços e nas campanhas, algo que saio em desvantagem. Ainda assim, consegui levar mais clientes às lojas. O resultado foi tão forte que o Waze se tornou parte de nossa estratégia contínua,”