Smartphones19/07/2017 às 18h53

Vendas de smartphones no Brasil crescem 23% no primeiro tri, aponta GfK

Henrique Medeiros

As vendas de smartphones no primeiro trimestre foram 23% maiores que no mesmo período do ano passado, informa a GfK. Para efeito de comparação, no primeiro trimestre de 2016, o volume havia sido 34% menor que no primeiro trimestre de 2015.

De acordo com Rui Agapito, diretor comercial da empresa de pesquisas, o mercado de smartphones passou a apresentar recuperação no segundo trimestre de 2016. “Estamos há quatro trimestres com recuperação do crescimento ano sobre ano, demonstrando alguma estabilização. Fevereiro de 2016 foi historicamente a virada de chave desta tendência”, disse Agapito.

Na análise da GfK, os dispositivos do setor de telecom ganham espaço na cesta de bens duráveis. A expectativa de fatia de mercado até o final de 2017 é de uma liderança dos produtos de telefonia com 43%, seguidos por 23% da linha branca, 18% da linha marrom, 8% de informática e 8% de eletroportáteis. No final de 2016, a divisão era de 39% para telefonia, 25% para linha branca, 18% para linha marrom, 8% para informática e 8% para eletroportáteis.

Gosto do brasileiro por tecnologia

O estudo mostra também a busca do consumidor por novas tecnologias. A participação de smartphones com conexão 4G passou de 55,7% das vendas no primeiro trimestre de 2016 para 75,6% um ano depois. Dispositivos com conexão 3G e 2G caíram de 36,8% e 7,5% para 17,7% e 6,7%, respectivamente. No mesmo intervalo, o preço médio dos smartphones passou de R$ 891 para R$ 901.

Quando analisado pela qualidade da câmera, a venda dos smartphones com câmeras traseiras entre 13 e 15 MP representam a maior fatia do mercado: 43,5%. Um ano antes esse percentual era de 31,6%. Entre as câmeras frontais, os aparelhos com 5 MP cresceram de 51,5% para 63,1% No entanto, Agapito destaca o crescimento da câmera de selfie com 8 MP:  suas vendas saltaram de 0,7% no primeiro trimestre de 2016 para 11,2% no ano seguinte. Para 2017, o executivo prevê um crescimento de smartphones com capacidade de armazenamento de 32 GB.

Gigantes perdem espaço

A análise da Gfk aponta uma ligeira desconcentração no gosto do brasileiro por marcas. As cinco principais marcas (Samsung, Motorola, LG, Apple e Alcatel) de smartphones no Brasil reduziram a sua participação nas vendas de 90% para 88% na comparação entre o primeiro trimestre de 2017 e o mesmo período um ano antes.