Mobilidade corporativa22/06/2017 às 09h37

Oi investe em serviços corporativos com solução de Wi-Fi

Bruno do Amaral, do Teletime

Como parte da estratégia de focar nos serviços de valor agregado, a Oi lançou nesta semana uma plataforma de soluções para o mercado B2B, o WiFi Business. O serviço é inicialmente voltado para as verticais varejo, hotelaria, saúde, educação e financeiro, e permite que empresas – incluindo pequenas e médias – possam fazer gestão de ativos, de clientes e de logística interna. Além da conectividade, a companhia fornece a camada de aplicações, com analytics, realidade aumentada, Internet das Coisas, e geolocalização por meio de beacons na rede Wi-Fi. O processamento dos dados é feito na nuvem, embora a empresa também adote processamento local conforme a necessidade.

Um dos exemplos mostrados no showroom da operadora em São Paulo era com o varejo: o dono da loja pode conferir um painel com estatísticas de visitação à loja, mapa de calor e gestão de ativos. Poderia ainda, por meio de um app para celular, oferecer ao cliente um mapa interativo para mostrar onde está o item desejado, ou mesmo a direção para algum outro setor na loja, ou o banheiro. O programa ainda permite enviar notificações, como agendamento de uma reunião ou uma promoção no preço de determinado produto.

De acordo com a diretora de negócios B2B da Oi, Cátia Tokoro, "a estratégia é começar pelas grandes empresas, que já estão em nível de maturidade de transformação digital diferente das pequenas e médias". Ela afirma que a operadora fechou com "clientes referências" que podem ajudar a difundir a cultura de adoção da solução. "Alguns dos projetos que estamos pilotando com varejo são de redes (de lojas) com abrangência nacional", declara.

Como público alvo, pelo menos metade da base de 6 mil clientes corporativos da Oi, segundo o diretor de TI do B2B, Luiz Carlos Faray. "A gente entende que 50% é um desafio, 3 mil clientes em três anos", declara, citando que essa clientela já possui conectividade da empresa. "Temos objetivo de crescer entre 25% e 35% nos próximos anos em TI", completa.

O preço da solução depende da necessidade do cliente, uma vez que é fornecido no sistema "as a service". A Oi também não revela o investimento específico para o WiFi Business, mas ressalta que é parte dos R$ 100 milhões investidos para TI e negócios nos últimos três anos.

Smart cities

A solução para cidades inteligentes anunciada no primeiro trimestre ainda não foi lançada por uma decisão estratégica da operadora. Segundo Faray, a Oi espera poder apresentar um case para implantar. "Mas já estamos com várias prefeituras em implantação, especialmente parte de geolocalização", declara. São seis administrações municipais em diferentes estágios do projeto até o momento.

Vale lembrar que um dos principais responsáveis pela recente queda de receita do setor B2B na operadora foram justamente a redução nos contratos com serviços públicos, por conta da crise e da escassez orçamentária. "O que temos percebido de um tempo para cá é que os governos estão mais apertados, então muitos estão revisando o escopo de contratação, fazendo downgrade da rede, reduzindo a quantidade de pontos para que a conectividade caiba dentro de um orçamento menor", justificou Cátia Tokoro.