Retrospectiva 201722/12/2017 às 13h49

Retrospectiva móvel 2017

Fernando Paiva

Se você não conseguiu acompanhar o Mobile Time ao longo deste ano de 2017, não tem problema. Destacamos abaixo um resumo do que aconteceu de mais importante na indústria móvel neste ano para que você possa se informar. Cada tópico está acompanhado de algumas matérias publicadas em nosso site onde você encontra mais detalhes sobre cada assunto.

A febre dos bots - O ano de 2017 foi marcado pela febre dos chatbots, robôs de conversação que atendem dentro de apps, sites ou serviços de mensageria, como Facebook Messenger e Telegram (o WhatsApp ainda não os liberou oficialmente). Diversos desenvolvedores de apps e integradores de SMS passaram a produzir bots. Em um primeiro momento, o impacto maior é sentido no setor de call center, pois a maioria dos casos são de bots de atendimento. Mas aos poucos surgem também experiências para transações diversas, como pagamentos, e também para entrega de conteúdo. Mobile Time tem ajudado a fomentar esse mercado no Brasil com a realização do seminário Bots Experience Day e com a produção de um Mapa do Ecossistema Brasileiro de Bots.

Tamanho do mercado brasileiro de bots

Mobile Time publica o Mapa do Ecossistema Brasileiro de Bots

Vivi, bot da Vivo, ultrapassa 1 milhão de atendimentos por mês

Todo SVA vai ter um bot, diz CEO da Take

Via Varejo desenvolve bot

Zenvia prepara sua entrada no mercado de bots
 

WhatsApp abre para negócios - Depois de tantos anos funcionando sem nenhuma fonte de receita, o WhatsApp começa finalmente a desenhar seu modelo de negócios. Este ano ele iniciou os testes para a criação de contas corporativas verificadas. No Brasil, Itaú e KLM estão entre os primeiros a testar. Por enquanto a funcionalidade está em teste beta, mas deve ser aberta ao mercado em 2018. Seu impacto sobre o mercado de SMS A2P deve ser grande.

WhatsApp é aberto para contas corporativas

KLM adota WhatsApp para atendimento em português

Verificação das contas de empresas no WhatsApp

WhatsApp é integrado a posts no Facebook

 

A volta do RCS - O padrão RCS, uma espécie de evolução do SMS, com interface similar àquela de aplicativos de mensageria over the top, ganhou novo fôlego este ano com a ajuda do Google, que oferece a plataforma de graça na nuvem para as operadoras. Na América Latina, América Móvil, Telefônica, AT&T e Oi já se comprometeram a adotá-lo. A dúvida é se este padrão conseguirá abocanhar o enorme mercado de SMS corporativo (A2P) existente hoje ou se este será perdido para o WhatsApp. A vitória depende, em parte, da velocidade de implementação dos dois concorrentes, que ainda seguem em testes.

Aliança entre Google e teles

Oi lançará RCS no primeiro semestre de 2018

Operadoras se comprometem com Google

GSMA prevê 1 bilhão de MAUs de RCS no mundo em 2019

 

A crise do SVA - O mercado brasileiro de serviços de valor adicionado (SVA) em telefonia celular passou por uma crise este ano. Diante do aumento no número de reclamações de consumidores junto à Anatel a respeito de contratações à revelia, a agência ameaçou intervir e proibir a cobrança na conta telefônica. Como resposta, operadoras e parceiros tomaram uma série de medidas para melhorar a qualidade e a gestão desses serviços.

A Anatel toca o dedo na ferida

As ações das teles

As ações dos parceiros

 

A gestação de uma nova Oi - O ano foi conturbado para a Oi. Sem condições de pagar sua dívida, a operadora sofreu intervenção judicial e passou 18 meses negociando uma solução com seus credores, que finalmente foi aprovada no dia 20 de janeiro, quase como um presente de Natal. A expectativa agora é de que a empresa seja vendida no futuro para novos investidores. Os chineses são os mais cotados.

Aprovação do plano

Capitalização de R$ 4 bi

A dívida com a Anatel


Voz ilimitada - Uma das novidades comerciais das operadoras móveis este ano foi a oferta de voz ilimitada, para chamadas locais e de longa distância, independentemente da operadora de destino. O inovação partiu da Claro e logo foi adotada por outras teles – algumas, contudo, apenas para clientes pós-pagos.

Claro e a voz ilimitada

Oi e a voz ilimitada

Vivo e a voz ilimitada

Voz ilimitada chega ao pré-pago

TIM e a voz ilimitada

 

Flexibilidade nos planos de dados - Outra inovação importante das operadoras foi a flexibilização do gerenciamento dos planos de dados. Começou com a Oi permitindo a troca de minutos por Megabytes dentro do app Minha Oi. Depois a Vivo permitiu o compartilhamento de Megabytes entre seus assinantes.

Oi Livre

Meu vivo

 

A chegada do VoLTE - O Brasil presenciou este ano o lançamento de voz sobre a rede 4G (VoLTE, na sigla em inglês), que traz som em alta definição e baixíssima latência. TIM e Vivo são as pioneiras, com destaque para a primeira, que oferece o serviço em mais de 1 mil cidades.

TIM e VoLTE

Vivo e VoLTE

Primeiro VoLTE

 

4G líder - O 4G se tornou a principal tecnologia móvel no Brasil, com sua base finalmente ultrapassando em quantidade aquela de 3G em outubro deste ano.

4G assume a liderança

 

5G esquentando - A quinta geração (5G) de telefonia celular está ganhando forma. Diversas operadoras realizaram testes com especificações pré-5G ao redor do mundo e a discussão sobre a padronização internacional de frequências chegou ao Brasil.

Projeções para 5G no mundo

Projeções para 5G na América Latina

5G na Coreia do Sul

Variedade de frequências no 5G

O problema das antenas 5G no Brasil

Operadoras vão vender latência no 5G

 

Recesso de fim de ano

Mobile Time entrará de recesso a partir desta sexta-feira, 22. Retomaremos o noticiário diário no dia 8 de janeiro de 2018, segunda-feira. Desejamos aos leitores boas festas e um ótimo ano novo!