SMS23/05/2014 às 12h01

Alertas de banco são o serviço mais popular de SMS no Brasil

Fernando Paiva

Os alertas de banco são o serviço por SMS mais popular entre internautas brasileiros atualmente, revela pesquisa realizada por MOBILE TIME e Opinion Box. Foram feitas entrevistas on-line com 1.901 pessoas, respeitando as proporções de distribuição por região, faixa etária, renda e gênero da população brasileira que acessa a Internet. Descobriu-se que, em média, um em cada cinco internautas brasileiros  (ou 21%, para ser preciso) assina algum serviço de recebimento automático de mensagens. A penetração desse tipo de serviço, por incrível que pareça, é maior entre os donos de smartphones (23,3%) que entre aqueles com feature phones (16,8%).

Perguntados sobre que tipo de conteúdo recebem, o alertas bancários estão em primeiro lugar com folga, apontados por 62,6% daqueles que confirmaram assinar algum serviço de SMS. Novamente, a penetração é maior entre os que têm smartphones (64%) do que entre os que possuem feature phones (57,9%).

O segundo tipo de conteúdo por mensagem de texto mais popular entre os internautas brasileiros é o de notícias, citado por 43,7% dos donos de smartphones e por 42,1% daqueles que têm feature phones e que responderam assinar algum serviço por SMS. Na base de usuários de smartphones, os demais conteúdos por SMS mais citados foram: educação (18%), saúde e bem-estar (16,4%) e alertas de gol (10,9%). E na base de feature phones: alertas de gol (21,1%), saúde e bem-estar (18,9%) e educação (12,6%).

Universalidade e volume

O SMS continua sendo um serviço de uso praticamente universal em mobilidade, mesmo depois da popularização dos aplicativos de mensagens instantâneas. Na base de smartphones, a penetração e o volume de mensagens são maiores do que entre usuários de feature phones, o que pode ser explicado por uma diferença de renda entre as duas bases e também por uma diferença de idade média, além do fato de ser mais prático escrever em um smartphone que em um feature phone.

Entre internautas com smartphones, 90,2% disseram que costumam enviar mensagens de texto, enquanto entre aqueles com feature phones, a penetração é de 88%. Sobre o volume de mensagens enviadas em média por semana, 46% daqueles com smartphones disseram que enviam de 1 a 10 SMS; 24,9%, de 11 a 20; 14,2% de 21 a 50; e 14,9%, mais de 50. Na base de feature phones, o volume é o seguinte: 58,2%, de 1 a 10 mensagens; 20,5%, de 11 a 20; 11,4%, de 21 a 50; e 9,8%, mais de 50.

Entre os 10% de donos de smartphones que disseram que não costumam enviar SMS, 67,2% responderam que o principal motivo para isso é o fato de usarem um aplicativo de mensagens instantâneas. Outros 19,8% disseram que é porque simplesmente "não gostam"; 5,3%, "porque é caro"; 0,8%, porque não sabem mandar SMS; e 6,9%, por outros motivos.

Enquanto isso, entre os 12% de donos de feature phones que não usam SMS, as razões apresentadas foram as seguintes: 57,4% porque não gostam; 14,7%, porque é caro; 14,7%, porque não sabem; 8,8%, porque usam algum aplicativo de mensagens (neste caso, provavelmente o usuário tem um webphone com uma versão em Java de um app de mensagens); e 4,4%, por outros motivos.

Esta notícia é a segunda parte dos resultados da referida pesquisa. A primeira foi publicada na última quarta-feira e abordou o uso dos diferentes aplicativos de mensagens instantâneas. Embora o SMS continue sendo usado pelos donos de smartphones, mais de 80% disseram que o uso de apps de IMs provocou uma redução na quantidade de SMS que costumam enviar.