Artigo23/08/2017 às 09h30

Geolocalização e marketing: uma estratégia impulsionada pelo mobile

Marcio Figueira, da DynAdmic

Segundo um estudo realizada pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV-SP) até o final do ano o Brasil terá um smartphone por habitante. Com a ajuda da mídia programática na estratégia de divulgação em vídeos online, os anunciantes estão começando a explorar novas formas de alcançar o interesse dos consumidores mobile no momento e local em que demonstram maior possibilidade de se interessar por um produto ou marca.

O formato móvel tem aberto novas possibilidades de segmentação no mercado publicitário, permitindo que os anunciantes selecionem suas audiências com base na localização dos consumidores, por meio do uso de dispositivos conectados à internet.

A segmentação por área demográfica aliada à compra de mídia programática pode colaborar para potencializar a estratégia de marketing digital, ao segmentar os usuários no momento em que estão vivenciando uma experiência. Um internauta que está utilizando seu smartphone durante uma partida de esporte, por exemplo, está mais propício a se interessar por uma marca de roupas esportivas e, consequentemente, engajar com o conteúdo disponibilizado no anúncio.

Isso é possível devido às tecnologias de geolocalização aliadas à compra de mídia por programática, que segmentam os consumidores por área, CEP, via GPS ou WiFi. A estratégia funciona com eficácia para divulgações aliadas a grandes eventos, como a Copa do Mundo ou Jogos Olímpicos.

Nesse caso, os anúncios em vídeo online são exibidos apenas para usuários com dispositivos móveis conectados e presentes na área predeterminada pela estratégia de mídia. Ao restringir a localização por interesse, as marcas tendem a ganhar não apenas com um engajamento maior do consumidor, mas também com o aumento das taxas de conversão.

A segmentação por geolocalização também ajuda os anunciantes a terem acesso a dados sobre o interesse do consumidor, ao fornecer informações complementares que mostram não apenas a localização, mas também o interesse do usuário em conteúdos relacionados.

Do lado dos consumidores, a geolocalização é uma ferramenta que ajuda na entrega de publicidade alinhada com o interesse deles em tempo real. Segundo um estudo da Swirl, 77% dos consumidores que responderam a pesquisa indicaram que optariam por fornecer dados sobre a geolocalização desde que recebessem algo de greande valor em troca.

Ao capturar o interesse desse usuário mobile no momento que está mais inclinado a engajar com uma determinada marca ou produto, os anunciantes podem trazer um maior brand awareness para suas campanhas e gerenciar melhor o investimento publicitário, redirecionando a verba para atingir quem realmente interessa.

Marcio Figueira é Chief Commercial Officer da DynAdmic Brasil