Assistentes digitais24/05/2017 às 11h23

Google Assistente estará disponível em português para Android M, N e O

Fernando Paiva

Em breve, o Google Assistente será disponibilizado em português para smartphones com Android Marshmallow e Nougat, por meio de atualizações de aplicativos oficiais do Google, assim como no Android O, nova versão do sistema operacional da empresa cujo lançamento é esperado para o segundo semestre. A ideia é que ele se torne um elemento nativo de qualquer aparelho Android, tal como é a Siri para iPhones e iPads.

O trabalho de adaptação do assistente para a cultura brasileira começou no ano passado e foi realizado pela equipe de engenheiros do escritório do Google em Belo Horizonte. Eles prepararam a versão que está presente no aplicativo de mensagens Google Allo. Nele, o assistente entende requisições por escrito e por voz, mas só responde por escrito. O Google Assistente que virá para Android M, N e O terá uma voz própria e usará como base esse trabalho de adaptação feito para o Allo.

“Não se trata apenas de traduzir. O assistente não é só isso. Como envolve inteligência artificial e machine learning, tem todo um trabalho por trás de realmente fazê-lo entender o usuário local. Há uma série de adaptações de comportamento que fazem o Google Assistente ser diferente do Google Now, por exemplo. Procuramos compreender as demandas locais”, explica Valdir Leme, head de marketing do Google no Brasil, em entrevista para Mobile Time.

Uma série de conteúdos tipicamente brasileiros foram incluídos na primeira versão do Google Assistente dentro do Allo. É possível, por exemplo, perguntar a altura do Cristo Redentor, ou quantas pessoas cabem no Maracanã, ou até mesmo quem matou Odete Roitman, e receber as respostas corretas. Obviamente, a plataforma aprenderá com os próprios usuários conforme for se popularizando, a partir de ferramentas de aprendizado de máquinas desenvolvidas pelo próprio Google.

APIs

A proposta é que o assistente funcione de maneira integrada com vários aparelhos do usuário e também com diferentes apps, não apenas aqueles do Google. Será possível, por exemplo, pedir um táxi pelo Google Home e depois acompanhar o deslocamento do carro pelo smartphone ou pelo smartwatch do mesmo usuário. “O Google Assistente será como um assistente virtual que está 24 horas com você”, descreve Leme. Ele também será capaz de distinguir as vozes de diferentes pessoas no mesmo ambiente.

Nos EUA, o Google já disponibilizou uma API para desenvolvedores criarem “ações” para o assistente. Trata-se de comandos para que o acesso a determinados serviços. Desta forma, aplicativos de terceiros podem ser integrados ao assistente, o que vai viabilizar pedir um Uber, fazer uma transferência bancária ou pedir comida falando com o software. Ainda não está definido quando essa API será disponibilizada para os desenvolvedores no Brasil. Também não há data para a chegada do Google Home no País.