Estratégia24/10/2017 às 15h30

Wappa compra VaiMoto

Fernando Paiva

A Wappa, empresa que oferece solução corporativa para a gestão de gastos com táxi, adquiriu 100% da VaiMoto, start-up de entregas via motoboys. A compra faz parte da sua estratégia de diversificação de negócios, mas sempre com foco no mercado corporativo e na oferta de soluções para gerenciamento de gastos recorrentes. O valor do negócio não foi divulgado.

Em entrevista exclusiva para o Mobile Time, o CEO da Wappa, Armindo Mota Júnior, explicou que a empresa adquiriu, há dois anos, 30% da VaiMoto e investiu mais de R$ 5 milhões na start-up Expense Mobi, de gestão de despesas corporativas para reembolso. Dessa vez, a ampliação veio na compra total da VaiMoto. “Quando a nossa plataforma de táxi já estava bem madura, decidimos ampliar nossa oferta, até como forma de nos diferenciarmos de outros apps, como Uber e 99. Encontramos duas frentes nas quais fazia sentido expandir nossa operação: 1) motoboys, que representam despesas descontroladas e com alto volume, pois toda empresa é uma potencial usuária; 2) gestão de gastos para reembolso de despesas. Depois, começamos a olhar start-ups que estavam se destacando nessas duas áreas”, relata o CEO.

Mota Júnior contou que a Wappa pode acelerar o crescimento da VaiMoto graças à sua valiosa carteira de clientes corporativos – que inclui bancos, operadoras de telecomunicações, seguradoras, dentre outras empresas de grande porte. “Quanto tempo uma start-up leva para se sentar à mesa com um grande banco? Nós fazemos isso com um telefonema. Temos hoje 6 mil empresas que usam a Wappa todos os dias”, relata o executivo.

A VaiMoto conta com 4 mil motoboys cadastrados e opera em cinco estados do País, incluindo as capitais São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Também opera com outros meios de transporte, como bicicletas, em certas regiões da capital paulista. Sua carteira de clientes soma cerca de 200 empresas que utilizam sua plataforma para solicitar entregas. A receita da start-up está crescendo a um ritmo de 400% ao ano, o que deve ser mantido pelos próximos dois anos e depois deve começar a desacelerar, prevê Mota Júnior.

Integração

A princípio, a VaiMoto vai continuar com sua estrutura separada da Wappa, pois Mota Júnior entende ser um negócio com características diferentes e que requer essa independência para se desenvolver mais livremente. Por outro lado, o serviço da VaiMoto será integrado à plataforma da Wappa: dentro de 30 dias os gestores corporativos que usam a Wappa para controlar corridas de táxi de seus funcionários poderão também acessar o mesmo portal na web para solicitar entregas com a VaiMoto. O faturamento será feito pela própria Wappa.

Outra novidade é que a Wappa vai reformular o pagamento aos motoboys da VaiMoto. Em vez de receberem no mês seguinte pelas suas entregas, eles terão o dinheiro depositado em suas contas em dois dias úteis. Além disso, poderão ter um cartão de débito pré-pago da VaiMoto para gerirem suas contas.