Comércio móvel25/11/2015 às 10h29

Mobile vira prioridade na estratégia dos varejistas para a Black Friday

Fernando Paiva

O ano de 2015 ficará marcado como aquele  em que o mobile se tornou prioridade na estratégia para a Black Friday de boa parte do varejo eletrônico brasileiro. Várias redes de grande porte tomaram iniciativas para fortalecer suas vendas via m-commerce a tempo da Black Friday, que acontece na próxima sexta-feira, 27. Um levantamento feito por MOBILE TIME nas lojas de aplicativos, em conjunto com entrevistas realizadas com executivos do setor, revela uma extensa lista de ações nessa direção, dentre as quais: reformulação da interface dos apps, cadastramento de cartão de crédito por foto, compra com um clique, promoções exclusivas no app, frete grátis na compra pelo smartphone, navegação móvel patrocinada, abertura antecipada da Black Friday nos canais móveis e aumento médio de 30% na capacidade de tráfego móvel.

"O mobile já é um canal relevante e será dominante dentro de dois a cinco anos. Por isso, nossa visão estratégica é 'mobile only, app first'. É a única maneira de mudarmos nossos processos e a nossa forma de trabalhar", diz Eduardo Galanternick, diretor de comércio eletrônico do Magazine Luiza.

Em um ano, a participação dos canais móveis no tráfego on-line da empresa saltou de 10% para 30%. E o executivo acredita que deve chegar a 35% durante a Black Friday. Diante disso, a empresa relançou no fim de outubro o seu aplicativo móvel (Android, iOS), que agora conta com uma interface personalizada, que recomenda produtos de acordo com as preferências de cada consumidor, com base em seu histórico de compras. O processo de cadastro de cartão de crédito foi simplificado e agora é feito com uma foto do cartão. E foi incluída a opção de compra com um clique, para os clientes que já informaram seus dados de pagamento e endereço de entrega. Como forma de estimular as vendas pelo app, a empresa oferece frete grátis até o final do ano. Outro claro sinal de priorização desse canal é que a Black Friday do Magazine Luiza será aberta primeiro no app, ainda na tarde da quinta-feira, 26. Além disso, haverá promoções exclusivas da Black Friday dentro do app, que não constarão na versão para desktop.

"Fizemos o lançamento do app antes da Black Friday para atender a todo esse grande período promocional de fim de ano que começa com a Black Friday, passa por dezembro e termina no saldão de janeiro", justifica Galanternick.

Navegação patrocinada

A movimentação do Netshoes também chamou a atenção. A empresa está oferecendo desde o começo de novembro navegação gratuita em seu site e app móveis: é a primeira iniciativa do gênero por parte de uma empresa de m-commerce no Brasil. Para tanto, foram fechados acordos com as quatro grandes operadoras que atuam no Brasil. A única outra empresa que conseguiu esse feito foi o Bradesco, um ano e meio atrás. O lançamento da navegação patrocinada aconteceu junto com a repaginação do app para a Black Friday, ou melhor, "Black November", como o Netshoes chama: é o mês inteiro de promoções.

"Além de navegação que não utiliza pacote de dados, adotamos esforços constantes para oferecer cada vez mais uma melhor experiência nos dispositivos móveis: sites que carregam mais rápido, imagens mais leves, facilidade de serviço. Com o aumento significativo das visitas via dispositivos móveis, o caminho é que as empresas pensem nesse canal como forma de atendimento e serviço – nosso chat, inclusive, pode ser acionado por meio do aplicativo", comenta Fernando Zanatta, diretor de produto do Grupo Netshoes. Hoje, 46% do tráfego e 20% da receita do Netshoes provêm de dispositivos móveis. Um ano atrás, a participação desses canais na receita era de apenas 10%.

Cnova

Por sua vez, os apps do Pontofrio, Extra e Casas Bahia, todos administrados pela Cnova, ganharam novas versões entre agosto e setembro este ano que passaram a incluir duas novidades relevantes: o cadastramento de cartão de crédito por foto e a possibilidade de compra pelo smartphone e retirada em uma loja física – opção disponível apenas no Rio de Janeiro e em São Paulo, por enquanto.

Números

A preocupação dos varejistas com a experiência móvel tem respaldo em números. Em setembro, a pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box sobre Comércio Móvel no Brasil revelou que 41% dos internautas brasileiros com smartphone haviam feito pelo menos uma compra de bem físico nos últimos seis meses. A mesma pesquisa apontou as categorias de produtos mais compradas via smartphone pelo brasileiro: eletroeletrônicos, acessórios de moda, roupas e comida. Outro estudo, este assinado pela Criteo, informa que os canais móveis responderam por 19% da receita do e-commerce no Brasil no terceiro trimestre. No mundo, a participação chega a 30%, segundo um terceiro levantamento, este feito pela empresa de pagamentos digitais Adyen.

Veja abaixo os links para as outras duas matérias publicadas por MOBILE TIME nesta quarta-feira, 25, sobre os preparativos dos varejistas on-line para a Black Friday no celular.