Utilitário26/09/2014 às 12h29

App brasileiro monitora tempo de espera em filas

Fernando Paiva

Poucas coisas são mais irritantes que perder horas na fila de um restaurante, boate ou evento. Com o objetivo de minimizar esse problema, nasceu o app brasileiro "Tem fila?". Sua proposta é ser uma rede colaborativa em que os usuários informam o tempo médio de espera nas filas que enfrentam. No "Tem fila?", o usuário pode marcar quando inicia e quando acaba a sua espera na fila de qualquer lugar e o dado se torna visível para os demais em um mapa. O app usa a lista de lugares cadastrados no Foursquare. O "Tem fila?" foi lançado no final de agosto em iOS e ganhará a versão para Android nas próximas semanas.

A ideia foi concebida em junho do ano passado, durante um evento de start-ups em São Paulo, e é o primeiro projeto da start-up Inventors Inc. "Fizemos uma pesquisa com donos de restaurantes e descobrimos que eles gostam que haja filas em seus estabelecimentos, pois seria um sinal de qualidade. Então entendemos que eles nunca iriam colaborar com um projeto para acabar com as filas. São os consumidores que precisam se unir contra elas", relata Fernanda Lagroteria, sócia-fundadora e diretora de comunicação da empresa.

A empreendedora reconhece que para que o serviço funcione bem é preciso ter uma base razoável de usuários. O plano é aumentar o investimento em publicidade depois que a versão para Android ficar pronta. O principal canal será o Facebook no celular, diz Fernanda. O app conta também com um "robô" que vai aprendendo qual é o tempo médio da fila em cada dia da semana e horário em cada estabelecimento comercial: desta forma, mesmo quando ainda não houver alguma colaboração no dia, o "Tem fila?" pode estimar o tempo de espera com base no histórico daquele local.

Cabe ressaltar que a proposta não se restringe a restaurantes. "Estamos focando bastante em megafilas, especialmente em eventos culturais temporários. A exposição do Castelo Rá-Tim-Bum, no MIS de São Paulo, por exemplo, é um recordista absoluto de filas. A exposição do Dalí, no CCBB do Rio de Janeiro, também foi. Estamos falando de filas de quatro horas, uma coisa impraticável. Acompanhamos a fila da Bienal do Livro também", relata Fernanda. Portanto, antes de sair de casa, é bom dar uma olhada no "Tem fila?" para se preparar para a espera, ou, de repente, mudar de programa.

Monetização e novas funcionalidades

Quando o serviço alcançar uma base consistente de usuários, o plano de seus criadores é monetizar através de anúncios bem direcionados, que aproveitem a informação sobre a localização do usuário e sobre os locais pesquisados. Por exemplo: se a pessoa verificou que a fila em uma churrascaria está demorada, seria uma boa oportunidade para o app exibir o anúncio de outra churrascaria próxima que esteja com menos fila ou com alguma promoção.

Outra novidade em atualizações futuras será a inclusão da informação sobre o "clima" da fila. Fernanda explica: "existe fila grande, mas divertida, e fila pequena, mas infernal. Em São Paulo tem lugares que a pessoa vai para ficar na fila, na calçada. Ou seja, não necessariamente toda fila é ruim."