Handsets28/11/2013 às 16h45

Vendas de smartphones crescem 147% no Brasil no terceiro trimestre

Da Redação

No terceiro trimestre deste ano foram comercializados 10,4 milhões de smartphones no Brasil. Isso representa um crescimento de 147% se comparado com o mesmo período do ano passado, quando foram vendidos 4,2 milhões. Em relação ao segundo trimestre deste ano, o aumento foi de 19%. A maior parte (90%) são terminais Android. Os dados foram levantados pelo IDC.

Os feature phones, por sua vez, seguem em declínio. Entre julho e setembro deste ano, o IDC estima que foram comercializados 7,5 milhões de feature phones, o que representa uma queda anual de 33% e uma redução de 5% quando comparado com o segundo trimestre deste ano.

No total, o mercado brasileiro registrou a venda de 17,9 milhões de telefones celulares no terceiro trimestre deste ano, dos quais 58% eram smartphones. Houve um aumento de 17% no volume total de handsets vendidos na comparação com o mesmo período do ano passado e de 8% em relação ao segundo trimestre.

Análise

O mercado de telefones celulares obedece a algumas regras de sazonalidade. O primeiro trimestre costuma ser o mais fraco, por não ter nenhuma data comemorativa. O segundo é marcado pelo Dia das Mães, considerada pelo comércio a melhor data depois do Natal. No terceiro trimestre há o Dia dos Pais. E o melhor trimestre costuma ser o quarto, por causa do Natal. Considerando os números auferidos pelo IDC, é razoável prever que o mercado brasileiro atingirá a marca de 70 milhões de telefones celulares vendidos em 2013.

O avanço dos smartphones vem sendo notado há algum tempo, mas este será o primeiro ano em que tal segmento vai superar aquele de feature phones no Brasil. As razões para isso são o barateamento desse produto, puxado por modelos Android e também pela chegada de novos fabricantes, alguns deles brasileiros, como Multilaser e Positivo.

Em algum momento, será preciso reavaliar o uso do termo "smartphone" pois praticamente 100% das vendas serão de celulares ditos "inteligentes". Os fabricantes precisarão encontrar uma nova denominação para diferenciar seus modelos top de linha. Um termo que vem sendo usado é o de "superphones".