Fotografia29/11/2017 às 19h08

Candy Selfie Camera

Henrique Medeiros

Fim de ano chegando e as festas de empresas também. As linhas do tempo nas redes sociais ficam cobertas por selfies e mensagens efêmeras (depende da mídia que você usa) de amigos e outros seguidores. Essas imagens ganham textos, filtros, adesivos e trocentas outras marcações que, na maioria das vezes, ficam todas iguais.

Para fugir um pouco deste cenário de constante repetição e falta de criatividade, o aplicativo Candy Selfie Camera (Android) é uma opção. Lançado na última quinta-feira, 23, o app é uma das apostas da chinesa Hawk Internet para o mercado brasileiro. Isso porque ele traz como funcionalidade não apenas seus 100 filtros e 400 adesivos, mas também de embelezamento da face, criação de GIF, edição de fotos, colagem e grade fotos.

O app em si é bom. Ele tem rapidez de acesso entre suas funções, reconhece bem rápido o rosto de uma pessoa e possibilita editar uma imagem depois que a foto é tirada. Ou seja, não é preciso tirar outra foto caso a primeira não dê certo. Basta alterar. Acredito que isso possa ajudar para retocar uma selfie ou ajeitar aquela foto em grupo (“welfie”) que não ficou muito legal.

Publicidade que irrita

Mas nem tudo são flores no Candy Selfie Camera. Como o modelo de negócios da Hawk é baseado em publicidade, a entrada de peças de marketing na navegação dentro do app é constante, irritante e, em sua maioria, não tem ligação alguma com o app.

Não tenho nada contra o modelo de publicidade, aliás, acredito que ele é o principal meio para qualquer plataforma ter um lucro razoável, sem cobrar dos usuários. Contudo, empresas como a Hawk devem entender que o modelo de publicidade mobile deve ser bem menos intrusivo ao usuário e sua experiência.

Vale lembrar que uma pesquisa recente da Kantar revelou que 38% dos usuários brasileiros não clicam em publicidade móvel. Por outro lado, os entrevistados lembraram-se de diversas marcas que viram nas telas de seus smartphones recentemente. Ou seja, a publicidade pode e deve existir, mas deve ser inclusiva e fazer parte do storytelling do consumidor.

Sistema operacional: Android

Preço: Gratuito