Henrique Medeiros

Zôdio

Recém-chegada ao Brasil, a loja francesa Zôdio (Android, iOS) apresenta um conceito de compras diferenciado para seus consumidores que envolve engajamento e empreendedorismo. Por meio de seu app – que é na verdade uma mídia...

consulte Mais informação

Sky View Free

Imagine, você olha para um céu estrelado e se pergunta: qual é aquela estrela? Tem uma constelação ali? Para qual lado fica Marte? Qual a galáxia mais próxima? O que é uma nebulosa? Aquilo é um satélite ou uma estrela cadente?...

consulte Mais informação

Mr. Porter

Os homens precisam se cuidar hoje em dia. E não estou falando apenas da saúde, mas também de suas roupas, posturas e se atualizar com o mundo ao redor. Uma alternativa de informações para o universo masculino é o aplicativo da...

consulte Mais informação

Candy Selfie Camera

Fim de ano chegando e as festas de empresas também. As linhas do tempo nas redes sociais ficam cobertas por selfies e mensagens efêmeras (depende da mídia que você usa) de amigos e outros seguidores. Essas imagens ganham …

consulte Mais informação

Venda de wearables deve chegar a 310 milhões em 2017, estima Gartner

A expectativa com a vendas mundiais de wearables deve ficar em 310,4 milhões de dispositivos em 2017, um incremento de 16,7% em relação aos 265,8 milhões do ano anterior, prevê relatório do Gartner. A expectativa é de que a receita com a comercialização dos vestíveis atinja US$ 30,5 bilhões este ano.

Os fones Bluetooth serão os dispositivos mais vendidos entre os vestíveis. Em 2017, serão 150 milhões de headsets ante 128,5 milhões de 2016, um aumento similar a média dos wearables, 16,7%. Essa liderança deve ser mantida até 2021, com a categoria atingindo 206 milhões de unidades vendidas.

Por sua vez, a categoria de óculos de realidade virtual e realidade aumentada deve chegar a 22 milhões de unidades vendidas, 7% do total de dispositivos vestíveis vendidos em 2017. Os óculos não devem se tornar uma das principais correntes até 2021 para o Gartner, pois estão em seus primeiros passos no mercado.

Expectativas para smartwatches

Além da liderança dos fones até 2021, o Gartner destaca o desempenho dos smartwatches. A categoria deve vender 41,5 milhões de unidades neste ano e colaborar com US$ 9,3 bilhões de todo faturamento com wearables em 2017. Daqui a cinco anos, os smartwatches representarão 80,9 milhões de devices comercializados com receita de US$ 17,4 bilhões.

Seu crescimento vai acontecer por dois fatores: redução do preço médio dos smartwatches de US$ 223,25 em 2017 para US$ 214,99 em 2021, embora a firma de análise acredite que marcas como Fossil e Apple manterão seus preços; e o desenvolvimento das subcategorias “luxo” e “criança”, que juntas serão responsáveis por 55% dos smarwatches vendidos.

Outras marcas que trabalham com este tipo de dispositivo, como Asus, Huawei, LG, Samsung e Sony, terão apenas 15% das vendas em 2021. De acordo com o estudo, as empresas citadas não têm o mesmo “apelo” para apresentar os dispositivos como as marcas de “vida e estilo”.

Confira a tabela completa por produto:

Tipo de Dispositivo

2016 (em milhões de unidades)

2017 (em milhões de unidades)

2021 (em milhões de unidades))

Smartwatch

34,80

41,50

80,96

Óculos de realidade virtual/aumentada

16,09

22,01

67,17

Câmera vestível

0,17

1,05

5,62

Fone Bluetooth

128,50

150,00

206,00

Pulseira

34,97

44,10

63,86

Relógios esportivos

21,23

21,43

22,31

Outros monitores de saúde

55,46

55,7

58,73

Total

265,88

310,37

504,65

 

consulte Mais informação