A matéria da Folha de São Paulo sobre o disparo massivo de mensagens pelo WhatsApp bancado por empresas com conteúdo contrário ao Partido dos Trabalhadores cita quatro companhias que ofereceriam esse serviço: Croc Services, Quick Mobile, SMS Market e Yacows. Mobile Time verificou que os sites das três últimas oferecem de fato o disparo de mensagens pelo WhatsApp. O problema é que nenhuma delas é autorizada pelo WhatsApp para comercializar o disparo de mensagens. Apenas o site da Croc Services não cita o WhatsApp, somente SMS.

Site da SMS Market oferecendo o serviço de disparo por WhatsApp

Mobile Time tentou contato com as quatro empresas, mas apenas a SMS Market retornou. Leia abaixo a entrevista com o consultor jurídico da companhia, Willian Evangelista.

Willian Evangelista – Tomei conhecimento dessa matéria da Folha, mas é uma matéria falsa, não recebemos de empresas nenhum dinheiro para fazer publicidade contra o PT. Isso é uma mentira. Primeiro porque nosso site tem termos e condições de uso e qualquer cliente que se cadastra tem que aceitar esse termo. E esse termo é bem explícito e afirma que não é permitido nenhuma publicidade, nenhuma campanha de cunho político. Você vê que a Folha nem se preocupou em entrar em contato conosco… A gente recebeu um e-mail deles ontem às sete horas da noite. E nosso expediente vai até às seis, pedindo retratação. Mas na hora que a gente viu esse e-mail, hoje, já tinham publicado. Nossos advogados vão tomar providências porque nosso nome está nessa matéria, falando uma mentira.

O cliente que se cadastra no site pode fazer tudo online. Mas tem regras, não pode fazer o que quiser. Você pode fazer tudo online, só que tem consultores que ficam verificando as mensagens dos clientes. Se você fizer um cadastro no nosso site, você está sendo monitorado. Você já aceita esses termos, essas condições de uso quando você faz o cadastro.  Ou seja, esse conteúdo está sendo monitorado. Caso esse conteúdo infrinja nossos termos e condições de uso, nós temos permissão de bloquear essa conta. Isso está no contrato.

Mobile Time – E vocês fizeram isso nos últimos dias? Não chegou nenhum conteúdo que infringisse as regras?

Sempre tem cliente testando (ou seja, tentando infringir as regras do serviço). Há clientes que querem infringir a lei, mas ele tem as contas bloqueadas. Nada de conteúdo em massa… A Folha falou que publicou 15 milhões, que foram destinados a esse uso… isso é uma mentira. O cliente não compra nada aqui sem nós sabermos o que ele está enviando, entendeu?

Vocês monitoram as mensagens. Vocês leem todas as mensagens?

Todas as mensagens de clientes novos são monitoradas justamente para interferir não só no cunho político, porque estamos em época de eleição, mas também de conteúdos criminosos, como o de fraude bancária, que é bem típico. Por esse motivo a gente é obrigado a automaticamente ter esse monitoramento, entendeu?

Qualquer palavra política, como “votação”, “Bolsonaro”,  “Lula, “Haddad”, entra em um spam e a conta é bloqueada. Fora a monitoração dos nossos consultores, tem o nosso filtro no servidor.

E os clientes que já são mais antigos?

Autorizados, você fala? Clientes autorizados são clientes que utilizam, realmente, pelo conteúdo que é permitido no nosso site. Envio de alerta, publicidade para seus próprios clientes…

E eles são monitorados também?

O conteúdo de monitoramento humano é feito somente com clientes novos. Mas o filtro no servidor é para todos os clientes.

Vocês são homologados pelo WhatsApp?

Não existe esse tipo de autorização. Isso está sem formato, nós já entramos em contato com o WhatsApp, mas ainda não tem nada. Não tem nada que envolve publicidade no aplicativo dele. Eles estão saindo agora com os chatbots. Nós estamos autorizados por eles a fazer a gestão dos chatbots. Mas, do envio em massa, não. Não tem uma legislação e não tem como ter homologação.

Já fizemos contato com o WhatsApp, mas não tem nada legalizado porque não tem nada na lei. Se você perguntar do SMS, temos, sim. Nós temos a homologação da Anatel. Para o WhatsApp não posso te responder porque o WhatsApp não se pronunciou sobre isso.

Hoje, o aplicativo é público. Não tem nenhuma restrição. Só empresas de uma lista podem fazer? Não, você pode entrar no Mercado Livre e comprar um software que se conecta com o WhatsApp.  Qualquer um pode fazer divulgação pelo WhatsApp.

Se você infringir os termos e condições do WhatsApp, aí, sim, ele bloqueia seu canal, sua conta. Mas não é o caso. A partir do momento que tiver uma legislação, um contato do WhatsApp solicitando ou autorizando esses nossos envios por homologação, aí, sim, nós seremos os primeiros a solicitar isso.

Mas vocês entraram em contato com o WhatsApp por causa dessa história?

A gente vem conversando com o WhatsApp já tem um tempo. Até por conta do chatbot que é coisa nova que eles estão lançando. Eles estão, aí, sim, homologando empresas a terem esse respaldo. Mas para envio em massa, eles não abriram isso. A gente não tem nenhuma legislação deles.

A SMS Market não trabalha na ilegalidade. Ela trabalha em cima da legislação brasileira. O WhatsApp não tem. Ah, você pode fazer envio em massa? Não tem essa legislação. Não tem como ser homologado. Em nossos princípios, pelas leis do TSE, nós não divulgamos propaganda eleitoral para o setor privado.