Cresce adesão do brasileiro ao WhatsApp Pay

Em seis meses, entre agosto de 2021 e fevereiro de 2022, subiu de 7% para 17% a proporção de usuários do WhatsApp que cadastraram um cartão de débito para poderem enviar ou receber dinheiro pelo mensageiro.

O aumento de dez pontos percentuais pode ser atribuído à forte campanha de marketing para divulgação da ferramenta, que incluiu até placas de publicidade em partidas do futebol brasileiro no fim do ano passado.

A adesão à funcionalidade é maior entre homens (20%) que entre mulheres (14%).

É também maior entre os jovens de 16 a 29 anos (23%), que entre aqueles com 30 a 49 anos (16%) e no grupo a partir de 50 anos (11%).

Nas classes C, D e E, 18% dos usuários do WhatsApp cadastraram cartão de débito para enviar dinheiro pelo app, contra 13% daqueles das classes A e B.

65% das pessoas que cadastraram um cartão no WhatsApp, ou 11% da base total do app, já realizaram pelo menos uma transferência de dinheiro pelo mensageiro.

Porém, o caminho para popularizar os pagamentos por WhatsApp é mais complicado do que se imaginava. O sucesso do Pix ofuscou a chegada da ferramenta de transferência de dinheiro no mensageiro.

Hoje: 80% dos usuários do WhatsApp que já experimentaram realizar uma transferência pelo mensageiro acham o Pix mais fácil de usar.

Entre os 83% de usuários do WhatsApp que não cadastraram um cartão de débito no aplicativo, 45% dizem que simplesmente não têm interesse no serviço.

A pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box foi realizada entre 12 e 20 de janeiro de 2022. A margem de erro é de 2,1 pontos percentuais e o grau de confiança é de 95%.

Quer ler o relatório na íntegra? Baixe no site do Mobile Time!