O uso do smartphone como instrumento de ensino no Brasil

O smartphone se tornou nos últimos anos um aliado da educação, seja como ferramenta de pesquisa para estudantes e professores, seja ele próprio como interface para aulas remotas.

A pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box foi a campo perguntar: Você já fez algum curso (de modalidade remota) em que o conteúdo das aulas e os testes eram todos via app?

dos brasileiros que possuem smartphone responderam que “sim”.

47

%

Como esperado, estudar via mobile é uma prática mais comum entre os jovens de 16 a 29 anos (54%), do que entre as pessoas de 30 a 49 anos (48%) ou com 50 anos ou mais (38%).

Há também uma diferença por tipo de plano de telefonia: 52% dos usuários de planos pós e controle já fizeram cursos via app, contra 43% daqueles com pré-pago.

Isso indica que provavelmente há uma oferta maior de serviços educacionais dentro de pacotes pós-pagos.

Vale destacar que não foi observada uma diferença significativa na comparação por gênero ou classe social.

A plataforma de cursos livres Hotmart Sparkle (19%) e o app de ensino de idiomas Duolingo (9%) são os mais populares de educação no Brasil.

Interessante notar como o YouTube e apps de videochamadas, como Zoom e Google Meet, são também usados para educação.

A pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box entrevistou 2.041 brasileiros que usam smartphone, entre os dias 13 e 23 de abril de 2022.

A margem de erro é de 2,1 pontos percentuais e o grau de confiança é de 95%.

O relatório integral da pesquisa está disponível para download gratuito no site do Mobile Time.