Estratégia01/05/2018 às 16h55

IFS vai homogeneizar operação mundialmente e avaliar novas aquisições

Fernando Paiva, de Atlanta*

A IFS, fornecedora europeia de softwares corporativos, conhecida especialmente pelo seu ERP, pretende padronizar globalmente a sua operação. Essa é uma das metas prioritárias do seu novo CEO, Darren Roos, que assumiu há apenas um mês.

Hoje a atuação da IFS é dividida em oito regiões e cada uma tem relativa autonomia para tocar os negócios. Roos entende, porém, que é preciso adotar regras e diretrizes que valham para todos, o que seria fundamental para a empresa crescer nos próximos anos e conquistar clientes com presença global.

"Não é sustentável manter isso para clientes de grande porte. Não dá para em cada país esse cliente ter uma experiência diferente com a IFS", disse Roos, durante palestra na conferência mundial da IFS, nesta terça-feira, 1, em Atlanta, nos EUA.

O executivo espera que essa homogeneização da experiência seja concluída em até 18 meses. E entende que ela seja uma condição básica para que a IFS volte a avaliar aquisições. A IFS já comprou cinco empresas. Uma delas foi a norte-americana Workwave, que tem um software de gerenciamento de equipes de campo para pequenas empresas com até 20 funcionários.

Mobile e nuvem

Outras duas tendências apontadas por Roos são a migração para mobile e para a nuvem. Segundo o executivo, muitos clientes hoje instalam apenas as versões móveis das aplicações da IFS. "Há um movimento massivo em direção ao mobile", relatou.

Paralelamente, a empresa está levando seus serviços cada vez mais para a nuvem, dentro de um modelo de software como serviço (SaaS). Mas não vai parar de trabalhar com o modelo de venda de licenças com instalação local ou em nuvem gerenciada.

"Mais da metade dos clientes que compram nossos serviços nos EUA estão na nuvem. Em gerenciamento de equipes de campo é quase 100% na nuvem. Mas entendemos que há diferenças entre setores e entre empresas. Usar a nuvem não é o melhor para todo mundo. Por isso no IFS 10 (nova versão de ERP da empresa) adotamos três modelos de negócios: SaaS, nuvem gerenciada e instalação local", explicou Dan Matthews, CTO da IFS.

*O jornalista viajou a convite da IFS