Comportamento05/06/2018 às 10h11

Mobile Time divulga radar de popularidade de apps no Brasil

Fernando Paiva

A popularidade de um aplicativo móvel pode ser medida de várias maneiras. Há quem meça pelo volume de downloads, ou pela quantidade de usuários ativos mensais, ou pelo número de sessões abertas por mês etc. O ideal, na verdade, é mesclar diversos critérios, pois cada um deles conta uma história diferente. 

Na pesquisa Panorama Mobile Time/Opnion Box sobre uso de apps no Brasil é proposto um indicador que os relatórios tradicionais da indústria móvel não costumam abordar: a presença do app na tela inicial (home screen) do smartphone. Pressupõe-se que o fato de um aplicativo estar posicionado na home screen do aparelho significa que é um dos mais acessados pelo usuário.

Desde abril de 2015, de seis em seis meses, Mobile Time e Opinion Box monitoram quais são os apps mais comumente encontrados na tela inicial do smartphone brasileiro e publicam um ranking com os 20 títulos mais populares. Desta vez, além da referida lista, foi criado um Radar de Popularidade, na qual os apps são classificados em quatro faixas de popularidade: 1) No alto, estão aqueles de uso massivo, encontrados na tela inicial de 30% ou mais dos smartphones brasileiros; 2) Em seguida, aqueles bastante populares, encontrados na home screen de 10% a 29% dos aparelhos; 3) Depois, os títulos presentes na primeira tela de 4% a 9% dos smartphones; 4) por fim, apps citados por 2% ou 3% dos entrevistados como ocupantes da sua home screen. Veja abaixo o gráfico.

Analisando os dados, nota-se que há basicamente quatro categorias de aplicativos presentes: redes sociais/mensageria; bancos; entretenimento (streaming de vídeo e de música); marketplaces; e utilitários. São, em geral, apps de uso recorrente, o que explica a sua presença na home screen. Os únicos jogos a figurar no radar são Candy Crush e Cartola FC – o primeiro é o jogo móvel mais popular no Brasil (de acordo com a mesma pesquisa) e o segundo deve a sua aparição ao início do Campeonato Brasileiro e a uma intensa campanha de marketing em mídia de massa.

Outro dado interessante é a presença, pela primeira vez, dos apps de gestão de planos telefônicos das operadoras móveis. Meu Vivo, Meu TIM e Minha Oi foram os mais citados, cada um deles presente na tela inicial de 3% dos smartphones nacionais.

Cabe destacar também, no ranking dos 20 mais populares, a gradual ascensão de quatro apps que já haviam crescido na edição anterior da pesquisa, seis meses atrás: Caixa, Twitter, Nubank e Mercado Livre. A lista com os percentuais exatos de cada app citado no radar está disponível dentro do relatório da pesquisa, cujo download é gratuito através deste link.


A nova edição da pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box sobre uso de apps no Brasil entrevistou  ao longo de abril 1.931 internautas brasileiros que possuem smartphone. A pesquisa tem validade estatística. Seu grau de confiança é de 95%. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.