A Thales anunciou nesta terça-feira, 2, a conclusão da aquisição da Gemalto. Com isso, a francesa passa a contar com 80 mil funcionários em 68 países, inclusive no Brasil. “Com a compra, vamos acelerar nossa estratégia de globalização. Multiplicaremos por quatro nossa presença na América Latina e cresceremos significativamente nos Estados Unidos, cerca de 45%”, explicou em conferência para jornalistas do continente americano Patrice Caine, chairman e CEO da Thales. “A Thales será líder global em identidade digital e segurança, completou Philipe Vallée, vice-presidente executivo em identidade e segurança digital.

A operação aumenta as receitas da Thales para 19 bilhões de euros e terá autofinanciamento em P&D de 1 bilhão de euros, diz a empresa.

A compra custou aos cofres da Thales 4,8 bilhões de euros, mas fará com que a companhia domine segmentos como o gerenciamento de tráfego aéreo não-tripulado (drones, por exemplo), segurança cibernética para os dados e redes, segurança nos aeroportos ou segurança para transações financeiras. A expansão do portfólio da Thales combina soluções de identidade digital e segurança baseadas em tecnologias como biometria, proteção de dados e, também, segurança cibernética.

Com o incremento do portfólio da Thales, os segmentos de clientes também serão abrangentes, como bancos, operadoras móveis, agências governamentais, empresas de serviços públicos e outros setores.

A Gemalto será uma das sete unidades globais de negócios da Thales, chamada de Digital Identity and Security (DIS). De acordo com as informações dadas aos jornalistas, a Gemalto vai interagir com os clientes civis e do setor de defesa do grupo e fortalecerá sua presença industrial em todos os países onde a Thales está presente. O número de funcionários deverá crescer na América Latina (de 600 para 2,5 mil), no norte da Ásia (de 700 para 1,98 mil), no Sudeste Asiático (de 800 para 2,5 mil), na Índia (de 400 para 1,15 mil) e América do Norte (de 4,6 mil para 6,66 mil).

A Thales mantém usa expertise digital mundial em Internet das Coisas, big data, inteligência artificial e segurança cibernética. De acordo com a empresa, as primeiras sinergias são: setor bancário (análise de big data), defesa (biometria), aeroespacial (gerenciamento de tráfego não-tripulado), transportes (Internet das Coisas), espaço (IoT) e  telecomunicações (análise de big data). “Com a Gemalto, a Thales adquiriu um conjunto de tecnologias e competências altamente complementares com aplicações em todos os nossos cinco mercados verticais, que foram redefinidos como aeroespacial; espaço; transporte; identidade digital e segurança; e defesa e segurança”, explicou Caine.

thales media relations infographics v01 final