Quais meios digitais de autenticação biométrica já foram experimentados pelos brasileiros? Quais são considerados os mais fáceis e confortáveis de usar? E quais são percebidos como os mais seguros pelo consumidor nacional? Essas foram algumas das perguntas realizadas pela nova pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box sobre uso de senhas e biometria no smartphone, cujo relatório final será divulgado durante o Mobi-ID, seminário sobre identificação e autenticação digitais que acontecerá no dia 26 de novembro, no WTC, em São Paulo.

A presença do leitor de digital em smartphones de gama média ajudou a popularizar essa solução de autenticação biométrica nos últimos anos no Brasil. 38% dos internautas brasileiros com smartphone declaram já ter experimentado esse método de autenticação em serviços digitais. O reconhecimento facial vem em segundo lugar, mas distante, utilizado por apenas 11% do público nacional. Reconhecimento de voz vem em terceiro, com 9%. O escaneamento de íris, presente em poucos modelos de smartphones, foi experimentado por somente 2% dos internautas brasileiros. A utilização dessas tecnologias é inversamente proporcional à idade: quanto mais velho o internauta, menor a chance de já ter experimentado uma delas, revela a pesquisa.

Conforto

A pesquisa consultou os brasileiros quanto à sua percepção sobre quais dessas tecnologias seriam mais ou menos fáceis/confortáveis de usar e quais seriam mais ou menos seguras. Cabe ressaltar que mesmo pessoas que nunca experimentaram as tecnologias podiam responder a essa pergunta, porque a ideia era justamente captar a percepção ainda que de alguém que jamais experimentou determinada solução de biometria, pois indicaria a necessidade de melhorar a comunicação para dirimir eventuais dúvidas ou entendimentos equivocados do público. A utilização de senhas, sejam alfanuméricas ou de desenho na tela, foram incluídas como opção de resposta, para efeito de comparação.

As senhas foram citadas por 45% dos entrevistados como o meio mais confortável e fácil de autenticação digital – provavelmente porque muitos desses respondentes não chegaram a experimentar métodos biométricos. Em empate técnico, citada por 44% do público como a mais fácil e confortável, está a leitura de digital. Reconhecimento facial (5%), escaneamento de íris (3%) e reconhecimento de voz (3%) são as preferidas por uma minoria do público.

Quando perguntados qual consideram o meio mais “difícil e/ou desconfortável” de autenticação biométrica, o campeão é o escaneamento de íris, apontado por 35% dos internautas brasileiros. Novamente, cabe ressaltar: a maioria que disse isso não teve ainda a oportunidade de testar essa tecnologia. Trata-se, portanto, de uma percepção construída sem base empírica. Em seguida no ranking das tecnologias tidas como mais “difíceis ou desconfortáveis” vêm o reconhecimento de voz (24%), seguido por reconhecimento facial (18%), senhas (12%), e leitura de digital (11%).

Segurança

A leitura de digital é considerada o meio de autenticação digital mais seguro por 42% dos internautas brasileiros, seguida da senha (26%), do escaneamento de íris (18%), do reconhecimento facial (12%) e do reconhecimento de voz (2%).

O meio percebido pelo público como mais inseguro é a senha (38%), seguido por reconhecimento de voz (32%), reconhecimento facial (14%), leitura de digital (10%) e escaneamento de íris (6%).

Foram entrevistados no fim de outubro 2.055 brasileiros que acessam a Internet e possuem smartphone. A margem de erro é de 2,1 pontos percentuais.

Mobi-ID

O seminário Mobi-ID reunirá diversos especialistas para discutirem temas como o fim das senhas, identidade autossoberana, autenticação comportamental, desmaterialização dos documentos oficiais, e diferentes técnicas de biometria, como reconhecimento facial, leitura de digital e escaneamento da palma da mão. Estão confirmados entre os palestrantes o CSO da Vivo, Ruben Longobuco; o diretor de cibersegurança para o sul da América Latina da Microsoft, Nycholas Szucko; a diretora-presidente do Serpro, Glória Guimarães; a CEO da Trigg, Marcela Miranda; o gerente executivo de TI do Banco do Brasil Igor Régis Simões; e o gerente de inovação e pesquisa do Bradesco, Paulo Correia; dentre outros.

O evento acontecerá no dia 26 de novembro, no WTC, em São Paulo. A agenda completa e mais informações estão disponíveis no site www.mobi-id.com.br, ou pelo email eventos@mobiletime.com.br; ou pelo telefone 11-3138-4619.