O Napster, um dos maiores serviços de streaming de música do mundo, está mudando sua estratégia de negócios. Em vez de focar na conquista de usuários finais, quer atender ao mercado corporativo.

“Avaliamos que o custo de aquisição de milhões de assinantes no varejo seria muito alto. Entendemos que seria uma guerra sangrenta por um tempo muito longo, pois envolve grandes players com investimentos massivos em promoções, publicidade digital e mídias sociais. Decidimos não nos ferir nessa guerra. Então resolvemos focar em B2B”, justifica Marcio Kanamaru, vice-presidente do Napster para a América Latina.

Agora, o foco é oferecer a plataforma de streaming de música para os mais diversos setores, desde bancos até montadoras de automóveis, passando, é claro, pelas operadoras móveis, com as quais já mantém parcerias importantes, incluindo Vivo e a francesa SFR.

“Passamos a focar em uma plataforma onde a música entrega valor a empresas que acreditam que ela pode aumentar a lealdade, a fidelidade, o engajamento e o fortalecimento da sua marca”, acrescenta Kanamaru. A expectativa é de que dentro de 24 meses entre 70% e 80% da receita do Napster na América Latina virá do mercado corporativo, projeta o executivo.

BMW, fintechs e inteligência artificial

Como exemplo, ele cita a solução desenvolvida para os carros conectados da BMW, que passarão a vir com o Napster embarcado. Será possível criar de forma automatizada playslits personalizadas combinando o gosto do motorista e dos passageiros e que variem de acordo com o seu humor ou o período do dia. Até o rádio do carro ficará mais inteligente: com uma tecnologia de reconhecimento de músicas do Napster, será possível reproduzir de novo uma música que acabou de tocar em qualquer estação.

O Napster está conversando também com uma montadora de caminhões no Brasil para vender uma solução embarcada nos veículos.

E até fintechs estão interessadas em adicionar um serviço de música dentro de seus aplicativos. Neste caso, o objetivo é fazer com o cliente abra o app mais vezes por dia, o que pode também levá-lo a consumir mais serviços financeiros.

Outro benefício para as marcas é conhecer mais sobre seus clientes a partir do seu gosto musical. O Napster vai agregar inteligência artificial à sua plataforma para ajudar na elaboração de insights com base no perfil musical de cada usuário. Será possível planejar ofertas de acordo com isso e até prever o churn de um cliente analisando o que ele escuta ou o que deixou de escutar, diz Kanamaru. “A partir de uma pequena quantidade de músicas dá para inferir o sexo, a classe social, a faixa etária de uma pessoa… Com um histórico bastante extenso, dá para conhecer bem o cliente e saber o que oferecer para ele”, descreve o executivo.

Tela Viva Móvel

O uso da música para conhecer melhor o cliente será tema de palestra de Kanamaru na próxima edição do Tela Viva Móvel, que acontecerá no dia 6 de maio, no WTC, em São Paulo. O evento contará também com palestras de executivos da Oi, Vivo, Delivery Center, dentre outros. A agenda atualizada e mais informações sobre venda de ingressos estão disponíveis em www.telavivamovel.com.br, pelo email eventos@mobiletime.com.br, ou pelo telefone 11-3138-4619.