Pagamentos móveis02/02/2018 às 17h49

Itaú será o primeiro banco a ter Apple Pay no Brasil

Henrique Medeiros e Fernando Paiva

O Itaú confirmou que será o primeiro banco brasileiro com o sistema de pagamentos da Apple, o Apple Pay. Em resposta enviada a Mobile Time nesta sexta-feira, 2, a instituição financeira afirmou que a tecnologia de pagamentos estará “em breve” disponível para seus correntistas.

Em nota o banco informa: “Com o Apple Pay, os clientes terão uma maneira fácil e segura para fazer compras em lojas, aplicativos e e-commerce, usando seus dispositivos Apple, transformando a maneira como eles pagam todos os dias. O Itaú Unibanco será a primeira instituição financeira do país a receber o sistema, que estará disponível em breve para seus clientes.”

Mobile Time apurou que o Itaú vai disponibilizar o Apple Pay inicialmente para os portadores de cartões Personnalité e Uniclass. Depois a novidade será estendida para os demais correntistas. As mesmas fontes, que acompanham de perto as negociações, preveem que o lançamento acontecerá dentro de poucas semanas, ainda neste primeiro trimestre.

A confirmação da vinda do Apple Pay ao Brasil foi feita pelo CEO da Apple,Tim Cook, na última quinta-feira, 1º, durante conferência da fabricante de iPhones e iPads com analistas para a divulgação dos resultados financeiros no quarto trimestre de 2017.

Um dia após o anúncio feito por Cook na conferência de resultados, a Apple colocou as imagens do Apple Pay em seu site brasileiro. Nelas aparecem ilustrações de cartões e apps do Itaú com o Apple Pay, além de tarjetas com as bandeiras de cartões Visa e Mastercard.

Taxa por transação

O Apple Pay está disponível em mais de 20 países. Em todos eles, a Apple cobra dos bancos emissores uma pequena taxa por transação realizada. Nos EUA, sabe-se que essa taxa é de US$ 0,015. O Itaú prefere não comentar o assunto, mas as fontes ouvidas por Mobile Time dão como certo que a Apple tenha mantido no Brasil o mesmo modelo de negócios que adotou para o Apple Pay nos demais mercados. "A Apple cobra, sim, porque entende que agrega outros pontos em relação ao emissor, como a força da sua marca", diz uma das fontes.

O que se especula é que talvez o Itaú tenha conseguido negociar condições melhores para essa taxa por transação, por ter sido o primeiro a apoiar o meio de pagamento da Apple. Vale lembrar que o Itaú era o único dos grandes bancos que atuam no Brasil que ainda não havia aderido a nenhuma carteira internacional de pagamento móvel, o que indica que já estaria com o casamento acertado com a Apple. Ou seja, aceitou aguardar a noiva em troca da exclusividade no lançamento.

Para Apple, o acordo com um grande banco brasileiro como o Itaú ajudará a quebrar a resistência das demais instituições financeiras, acreditam as fontes. Vale lembrar que o Apple Pay está presente em mais de 20 países e em vários deles enfrentou certa resistência do ecossistema financeiro local justamente por causa da taxa extra cobrada por transação. Outro dado importante: os rivais Samsung Pay e Android Pay não cobram das instituições bancárias por transações realizadas.

Ouvindo os players

Apple, Banco do Brasil, Santander, Mastercard e Visa foram procurados por Mobile Time para esclarecer seus posicionamentos sobre a chegada do Apple Pay no Brasil. O Banco do Brasil e Visa não quiseram se pronunciar sobre o tema. Apple, Bradesco, Santander e Mastercard não responderam até o encerramento desta reportagem.