Comércio móvel22/09/2015 às 11h17

Quase 20% dos internautas brasileiros com smartphone pedem táxi através de app

Fernando Paiva

A pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box: M-commerce no Brasil mediu pela primeira vez a popularidade de aplicativos de chamada de táxi no País: 18,2% dos internautas brasileiros que possuem smartphones pediram táxi pelo menos uma vez nos últimos seis meses através de um app móvel. A pesquisa confirmou que a liderança nesse mercado é disputada palmo a palmo por 99Taxis e Easy Taxi. Ao serem perguntados qual o app de táxi que usam com mais frequência, 30,4% dos entrevistados que utilizam o serviço citaram o 99Taxis e 24,6%, o Easy Taxi. O Uber aparece na terceira colocação, com 9,9%. Os demais apps foram citados por menos de 5% dos usuários. É importante destacar que a pergunta da pesquisa solicitava a indicação do app de táxi usado com mais frequência pelo entrevistado. Isso significa que não necessariamente era o único.

Foram entrevistadas 1.247 pessoas on-line, entre 25 de agosto e 3 de setembro. A pesquisa tem validade estatística, pois respeita as proporções por idade, renda e distribuição geográfica do universo de internautas brasileiros – grupo que corresponde a aproximadamente metade da população do País. O grau de confiança da pesquisa é de 95% e a margem de erro é de 2,8 pontos percentuais.

Análise

Os dois apps que lideram o mercado têm algumas semelhanças: ambos foram criados por empreendedores brasileiros e receberam pesados aportes de investidores estrangeiros para expandirem suas operações, além de terem desembolsado bastante em marketing. Neste último ponto, o 99Taxis se destaca, pois vem fazendo campanha na TV e patrocina alguns dos maiores clubes de futebol do Brasil. Alguns apps de táxi estrangeiros que tentaram se fixar no Brasil, como Taxibeat, não conseguiram se manter e fecharam as portas por aqui. O Uber, por sua vez, tem investido pouco em marketing, mas, por outro lado, ficou bastante conhecido nos últimos meses por conta da polêmica com os taxistas.

Há também apps que fazem sucesso no mercado corporativo, como o Wappa, mas que talvez não tenham aparecido entre os mais citados justamente por não terem força nas corridas particulares de usuários finais.

A pesquisa apurou ainda a popularidade de apps de serviços em outras três categorias: delivery de comida, reserva de hospedagem e compra de ingressos. Os resultados serão divulgados em outras matérias ao longo desta semana em MOBILE TIME.