O presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, e a CEO do Rappi, Tijana Jankovic, no evento de anúncio do patrocínio da seleção brasileira (Crédito: Fernando Paiva/Mobile Time)

|Atualização em 7 de outubro, às 9h40, sobre duração do contrato| O Rappi é o novo patrocinador das seleções brasileiras de futebol masculino e feminino. A duração do contrato é de um ano, mas o valor não foi divulgado. O Rappi agora vai se posicionar como “o superapp oficial da seleção brasileira”. O anúncio foi feito na sede da CBF, no Rio de Janeiro, nesta quinta-feira, 6.

O presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, destacou a importância desse patrocínio em um processo de resgate da credibilidade da entidade e do próprio futebol brasileiro. A seleção agora conta com 16 patrocinadores.

“Não poderia haver empresa melhor que a CBF para celebrarmos a brasilidade”, comentou a CEO do Rappi, Tijana Jankovic. “O brasileiro vai poder focar na torcida e deixar que o Rappi cuida do resto”, completou.

Para o Rappi, o Brasil é tido como um mercado estratégico. Presente em nove países da América Latina, a empresa aponta Colômbia, México e Brasil como os seus três mais importantes. Por sinal, o Rappi anunciou na semana passada também o patrocínio da seleção mexicana de futebol.