Todo mundo já viu que a inteligência artificial generativa é capaz de criar textos, imagens, vídeos e códigos de programação. Mas que tal planos de telefonia celular? Essa tecnologia está incorporada à plataforma de charging desenvolvida pela startup Totogi para operadoras móveis e é um dos seus principais diferenciais competitivos.

Mobile Time acompanhou uma demonstração da solução. Foi dado o comando “Crie um plano pós-pago de telefonia celular para motoristas de Uber”. Em segundos, a plataforma devolveu um plano detalhado, com franquia de dados, SMS, voz, preços e até zero rating para apps comumente utilizados pelos motoristas, como o próprio Uber e o Waze. A IA generativa dentro da plataforma também pode criar peças de marketing para a promoção de cada plano em diferentes mídias, como mensagem por SMS ou banners móveis.

carlos castilho

Carlos Castilho, diretor de vendas para Américas da Totogi

A plataforma da Totogi procura solucionar uma antiga dor do setor de telecomunicações: a dificuldade de transformar em realidade uma ideia de novo plano de telefonia celular criado pela área de marketing das operadoras. Isso se deve ao fato de os sistemas de billing (BSS) serem antigos e pouco flexíveis. O processo costuma ser complexo, e cada novo plano pode exigir muitas horas de desenvolvimento por parte da equipe de TI.

“As plataformas de BSS foram criadas pelos vendors no 1G. Elas foram sendo atualizadas ao longo do tempo, com a incorporação de novas ferramentas. Mas ninguém introduz algo inovador que gere uma mudança radical no processo”, comenta Carlos Castilho, diretor de vendas da Totogi para as Américas, em conversa com Mobile Time.

No code

A plataforma de charging da Totogi fica hospedada na nuvem da AWS e já nasceu pronta para o 5G. Sua interface é ‘no code’, ou seja, não requer conhecimento de programação para manuseá-la. Isso permite que a própria equipe de marketing opere a plataforma, que está conectada via APIs com os demais sistemas da operadora, independentemente dos fornecedores.

Os campos para criação de um novo plano foram pensados em detalhes para a realidade atual da telefonia celular. É possível definir franquia de dados e regras relacionadas a recargas; SMS em pacotes ou ilimitado; voz ilimitada; apps para zero rating; e promoções diversas. Na demonstração feita para Mobile Time, Castilho criou um novo plano pós-pago em menos de cinco minutos. Além disso, a qualquer momento é possível recorrer à IA generativa e pedir que o próprio sistema sugira um plano a partir de uma descrição qualquer.

Como está na nuvem, a plataforma pode escalar rapidamente. E seu custo também é flexível, crescendo conforme aumenta o volume de transações executadas.

totogi

Tela da plataforma da Totogi

Previsão de churn

Uma ferramenta extra presente na plataforma é a possibilidade de previsão de churn, usando inteligência artificial para analisar dados históricos da base da operadora.

“Precisamos de pelo menos quatro semanas de dados para começar a fazer as primeiras predições de churn”, diz Castilho. É conferido um score para cada usuário, indicando o risco de cancelar o serviço dentro de um determinado prazo, o que dá tempo de a operadora agir apresentando alguma oferta. A assertividade é de 85%, afirma o executivo.

Até agora duas operadoras já instalaram o sistema de charging da Totogi: a neozelandesa 2degrees e a Zain do Sudão.

Castilho acredita que a plataforma tenha boa aderência para agregadoras de MVNOs no Brasil, pois pode ser um diferencial competitivo para atrair e manter as operadoras virtuais, que ganhariam mais agilidade e autonomia na criação dos seus próprios planos.