Uma das maiores dificuldades em um processo logístico é identificar de quem é a responsabilidade quando uma carga chega ao seu destino com alguma avaria. Para resolver o problema, uma startup de origem holandesa e brasileira chamada CargoSnap, fundada por ex-executivos da Alcoa, criou uma solução para registrar via smartphone as condições da carga a cada etapa do seu transporte. Utilizada por 65 empresas ao redor do mundo, o aplicativo CargoSnap está instalado em cerca de 1 mil devices e realiza em média 250 mil registros por mês, tendo 1,5 milhão acumulados até hoje. Com crescimento de 14% ao mês, a projeção é chegar em 2020 fazendo 20 milhões de registros por mês.

O processo de transporte de carga é composto por várias etapas e envolve diversas empresas: desde a fábrica até o destino final pode passar por mais de um operador logístico, entrar e sair de contêineres, embarcar e desembarcar de caminhões, aviões ou navios. “Tem muita gente fazendo o handling e não há controle de como o material chega fisicamente, nem como foi expedido. Se a carga chegar avariada, o cliente final abre uma reclamação contra seu fornecedor e este acaba assumindo o custo, porque não tem condições de argumentar. São bilhões dólares gastos por ano”, explica Daniel Lins, sócio-fundador da CargoSnap.

Tela do app CargoSnap

Através do app da CargoSnap, quem lida com a carga realiza uma série de registros, ou “snaps”, como são chamados dentro da plataforma. Pode ser uma foto, um vídeo, o escaneamento de um documento, o preenchimento de um formulário sobre determinados aspectos da carga (temperatura e data de validade, por exemplo), a leitura de um código de barras ou QR code etc. O CargoSnap inclui um gerador sequencial de “time stamps”, para registrar data e hora. É o cliente quem configura as informações a serem captadas, através de um painel na web. Cada arquivo é salvo na nuvem, indexado e publicado em uma linha do tempo, para ser acompanhada pelo cliente. Isso se torna uma livro de evidências de toda a cadeia logística, gerando KPIs e relatórios em poucos cliques. Também é possível usar blockchain, para conferir ainda mais segurança à plataforma e facilitar auditorias.

A solução trabalha em várias línguas, com tradução automática. “Se eu fizer uma inspeção no Brasil posso compartilhar para um cliente na China já devidamente traduzida para chinês e adequada para a sua realidade”, relata Lins.

Público alvo

Os maiores contratantes do CargoSnap são os donos da carga, chamados de embarcadores. Em segundo lugar vêm os operadores logísticos. E, em terceiro, empresas dedicadas a fiscalizar as condições de cargas, geralmente são contratadas quando o material transportado é muito caro e as apólices de seguro exigem inspeção prévia, ou quando a lei obriga, como produtos agrícolas que requeiram inspeção fitossanitária. Para estas, o CargoSnap serve como uma ferramenta de digitalização dos seus processos, o que gera um ganho de produtividade.

Daniel Lins, sócio-fundador da CargoSnap, estará no Tela Viva Móvel 2019

Além de proteger suas operações contra eventuais acusações de avarias no transporte de cargas, as empresas que contratam a solução aumentam a transparência para com seus clientes, melhorando sua imagem e seu relacionamento com eles. Segundo Lins, há também um crescente interesse por parte das seguradoras, para reduzir as ocorrências de sinistros.

Tela Viva Móvel

O case do CargoSnap será apresentado por Lins durante o Tela Viva Móvel, seminário sobre inovação através do mobile, que acontecerá no dia 6 de maio, no WTC, em São Paulo, sob a organização do Mobile Time. O evento contará com palestras de várias startups inovadoras, como Delivery Center, Flapper, Vennux, NokNox, Everywhere Analytics, dentre outras. Confira a agenda completa e mais informações sobre venda de ingressos em www.telavivamovel.com.br, ou pelo email eventos@mobiletime.com.br, ou pelo telefone 11-3138-4619.