28

Ilustração: La Mandarina Dibujos/Mobile Time

Os cofundadores do Instagram (Android, iOS), o americano Kevin Systrom e o brasileiro Mike Krieger, que abandonaram a Meta em 2018 (então chamada de Facebook), preparam um novo app social. Foi aberta nesta terça-feira, 31, a lista de espera para quem tem interesse em participar dos testes da versão beta do Artifact, que reunirá um feed de notícias personalizado, baseado nos interesses do usuário.

O Artifact, que ainda não tem data para lançamento público, usa aprendizagem de máquina e inteligência artificial (IA) para mostrar conteúdos de forma customizada. O app também permite que os usuários discutam notícias com amigos, de acordo com entrevista exclusiva dos cofundadores ao Platformer, que descreveu o app “como um TikTok para textos”.

‘Para Você’ de textos

A tela inicial do app consiste em um feed que reúne artigos populares escolhidos a partir de uma curadoria abrangendo desde grandes veículos, como o New York Times, até pequenos blogs sobre assuntos de nicho. Quando o usuário clica em artigos que o interessam, o app mostra posts similares no feed, como na página principal do TikTok (Android, iOS), “Para Você”.

Segundo Systrom, o Artifact se comprometerá seriamente em prover notícias de qualidade. Haverá um esforço para inclusão somente de publicações que sigam padrões editoriais específicos. Apesar da companhia não divulgar quais são os veículos disponíveis nesta etapa inicial, os testadores podem procurar por publicações. Tanto o espectro político da direita quanto da esquerda estão contemplados.

Os algoritmos de aprendizagem de máquina são otimizados para mensurar quanto tempo o usuário passa lendo sobre vários assuntos, em vez de focar nos conteúdos que geram mais cliques e comentários. Essa é uma forma de recompensar materiais que engajam mais profundamente, não somente aqueles que chamam atenção.

Além do feed principal, o app tem outros recursos, que devem “se tornar pilares” da experiência da plataforma. Um deles se trata de um feed com artigos postados por pessoas que o usuário segue, junto com um comentário sobre o assunto. O outro recurso é de mensagens diretas a outros usuários, para discussões privadas sobre os posts. 

De acordo com Systrom, ainda não há um modelo de negócio definido, mas ele afirmou que publicidade poderá ser um caminho adequado. Ele também está interessado na possibilidade de fazer acordos para dividir a receita com publicações.