| Publicada no Teletime | A Prefeitura de São Paulo colocou em consulta pública uma minuta de edital para expansão do programa WiFi Livre SP, que oferece cobertura gratuita de Internet ao lado de operadoras de telecom.

Sob responsabilidade da Secretaria Municipal de Inovação e Tecnologia (SMIT), a consulta ficará disponível por 15 dias prorrogáveis por igual período. Interessados no contrato de 60 meses de duração podem enviar sugestões sobre o edital para o endereço eletrônico [email protected]

Atualmente, o Programa WiFi Livre SP conta com 1.088 pontos de acesso público à Internet e com o trio Americanet, Surf Telecom e WCS como credenciadas. Ao lado dos novos parceiros, a intenção é ampliar o quantitativo para até 20 mil pontos, tendo como foco os equipamentos e serviços públicos municipais, incluindo os ônibus. A velocidade mínima de download exigida no programa é de 512 kbps por usuário.

Mudanças

A SMIT informa que alterações frente ao modelo atual foram realizadas na minuta submetida à consulta. Entre eles, a atualização de requisitos técnicos da prestação de serviço “para se manter um serviço aderente à realidade tecnológica atual e de qualidade para a população”.

Outra mudança envolveu a revisão no modelo de propaganda e uso de dados, que foi adequado à legislação atual. O WiFi Livre SP usa um modelo alternativo de financiamento, sustentado por publicidade digital e outras receitas acessórias, resultando em formato não oneroso para o poder público municipal.

A inclusão de novas localidades e alteração na dinâmica de distribuição das localidades entre as credenciadas também foram realizadas, segundo a SMIT. Entre os pontos que devem ser cobertos estão parques e centros educacionais unificados (CEUs).

Como apontado por Teletime, há interesse da Prefeitura em trazer operadoras de grande porte ao projeto, bem como impulsionar o WiFi Livre SP com um novo arcabouço para antenas de telecom atualmente em avaliação pela Câmara.