20190611 202447

A disputa entre Huawei e o governo norte-americano pode beneficiar a entrada do 5G no Brasil. O diretor de evolução tecnológica da Claro Brasil, Luiz Fernando Bourdot, disse em conversa com jornalistas nesta terça-feira, 11, que, em sua visão, o fato de a Huawei perder contratos com operadoras nos Estados Unidos e em mercados próximos (vide Reino Unido, Austrália e Canadá) pode contribuir para que a chinesa olhe para outros países sedentos pelo 5G, como o Brasil.

O diretor da operadora acredita que o 5G pode ser acelerado no País, se o atual cenário da disputa comercial Huawei x EUA se mantiver. Vale lembrar que o vice-presidente Hamilton Mourão descartou uma possível ação do governo brasileiro contra a Huawei, o que deixou um caminho mais claro para operadoras manterem suas tratativas com a fornecedora.

Sobre os equipamentos de rede móvel que a Claro possui atualmente, Bourdot explicou que há equipamentos de Huawei, Ericsson e Nokia, sendo que as estações de rádio da companhia finlandesa estão mais para a região norte-nordeste do Brasil. Já Huawei e Ericsson estão mais espalhados no resto do País

Testes do 5G

A Claro realizou testes com 5G no seu laboratório na Ilha do Fundão, Rio de Janeiro. Durante o Ciab Febraban 2019, realizado em São Paulo nesta terça-feira, 11, o executivo disse que os testes terminaram e que agora as partes (operadoras e fornecedoras) farão relatórios sobre os resultados.

Questionado sobre uma possível interferência do 5G na banda C (TV por satélite), ele confirmou que isso existe, mas que os testes foram feitos como uma maneira de mitigar a interferência e para definir padrões para filtros em TV que recebem sinal por parabólicas. Contudo, Bardout frisou que o relatório precisa ser entregue primeiro e depois as ações serão definidas.