Ziad Asghar MT HM

Ziad Asghar, VP de gerenciamento de produto na Qualcomm (crédito: Henrique Medeiros/Mobile Time)

O vice-presidente de gerenciamento de produto da Qualcomm, Ziad Asghar, disse que ainda há demanda para o SIMCard duplo. No lançamento do Snapdragon 8 de segunda geração, a companhia apresentou o seu primeiro chipset preparado para o DualSIM Card 5G, mas também pode ser um chip SIM 4G e outro 5G.

De acordo com o executivo, a companhia manteve “uma solução que é usada por todas as operadoras”, mas, que, ao mesmo tempo, avança para novas tecnologias, como o eSIM: “Queremos cobrir todas as nossas bases com uma solução que é adaptável para todos”, explicou ao Mobile Time.

Em conectividade, Asghar destacou ainda o fato de que o modem X70 5G incluso no novo Snapdragon é o primeiro do mercado móvel com inteligência artificial. Isso possibilitou melhorias na qualidade de recepção de sinal de rede: “Nós (Qualcomm) aplicamos inteligência artificial no modem e conseguimos melhorar a capacidade do modem ao adicionar a IA. Por exemplo: em uma situação de conexão de rede difícil, nós colocamos a IA para receber o sinal e melhorar a conexão”, disse.

Outro tema em conversa foi o avanço do Wi-Fi 7. A companhia tornou o Snapdragon 8 de segunda geração apto ao novo padrão das redes sem fio. O VP da Qualcomm acredita que a adoção será mais rápida que as gerações anteriores, mas não quis precisar uma data. Deu como exemplo a rápida adoção do Wi-Fi 6.

“Nós ficamos muito surpresos com quão rápida foi a transição do Wi-Fi 5 para o 6. Isso aconteceu pela necessidade de as pessoas, em suas casas, durante a pandemia de Covid-19, de ter uma boa conectividade. No geral, as pessoas estão adotando tecnologias de conectividade muito rapidamente”, completou.

Além da conectividade

Snapdragon 8 MT HM

Novo Snapdragon 8 Gen 2 (crédito: Henrique Medeiros/Mobile Time)

Asghar falou ainda sobre avanços em câmeras, segurança e games.

Na parte de segurança do Snapdragon 8 gen 2, o destaque é a entrada do Liveness por meio de reconhecimento facial. Feito em parceria com a Trinamix, a Qualcomm adicionou uma camada extra no Snapdragon Secure (o bloco de segurança do chip) que captura a imagem para perceber se ela é verdadeira. Vale dizer que essa tecnologia fica no hardware, não passa por software e nem é armazenada fora do smartphone.

Em câmeras, a companhia criou uma versão do  motor de segmentação de hardware, o Cognitive ISP. Essa funcionalidade identifica todas as áreas de interesse e faz melhorias nelas. Isso funciona para foto e vídeo, pois é feito no hardware, não é processamento no software: “É como um cérebro fazendo processamento de imagem, ele sabe o que está vendo. Por isso chamamos de cognitivo”, relatou.

“Nós também estamos trazendo o Isocell HP3 com 200 MP em sensores de imagem customizados pela Samsung para Qualcomm, e os dois sensores de otimização de imagem da Sony que faziam quatro níveis de visão com este sensor. Nós também estamos com o Sensing Hub, o Always Facing Camera, que acompanha o usuário no momento de capturar imagem no formato certo, inclusive quando falamos de segurança com a captura facial se precisar mudar do modo retrato para a paisagem (e vice-versa)”, explicou.

Em gaming, a principal novidade é o Ray Tracing, uma tecnologia que captura melhor o ambiente de um jogo com raios de luzes. Até então, o Ray Tracing estava disponível apenas em computadores.

“O Ray Tracing pode captar cada traço de luz. Nós conseguimos levá-lo para o mobile, algo que foi conquistado com parcerias. Estamos mostrando games que usam o Ray Tracing. E com o Snapdragon Adreno conseguimos fazer mais jogos com menor consumo de energia”, concluiu.

*O jornalista viajou ao Havaí a convite da Qualcomm.