Em apenas um ano, houve um aumento considerável do uso da biometria em detrimento de senhas para o desbloqueio do smartphone. Um ano atrás, o meio mais usado pelo brasileiro para essa finalidade era o desenho de uma senha na tela (35%). Agora, apenas 24% dos donos de smartphone desbloqueiam seu aparelho desta forma. No mesmo intervalo, a proporção dos que usam uma senha numérica caiu de 20% para 14%. Enquanto isso, por outro lado, a leitura da digital para desbloquear o smartphone deu um salto, passando de 27% para 43%. Esta agora é a maneira mais popular de autenticação ao telefone móvel nacional. Merece destaque também o crescimento de reconhecimento facial, utilizado para desbloqueio do smartphone de 5% dos brasileiros – um ano atrás eram 1%. Vale destacar que 13% dos brasileiros declaram que não bloqueiam seu smartphone.

Os dados fazem parte da nova pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box sobre uso de senhas e biometria. A pergunta foi formulada da seguinte forma: “Como você desbloqueia o seu celular?”. Foram entrevistados 2.297 brasileiros que acessam a Internet e possuem smartphone. As entrevistas foram feitas on-line entre 23 de outubro e 1 de novembro de 2019. A margem de erro é de 2 pontos percentuais e o grau de confiança, de 95%.

O relatório da pesquisa será lançado durante o Mobi-ID, seminário que acontecerá no dia 25 de novembro, no WTC, em São Paulo. Os resultados serão apresentados pelo COO da Opinion Box, Felipe Schepers. O evento contará ainda com painéis sobre os diferentes meios de autenticação a serviços digitais e sobre os desafios da tecnologia de reconhecimento facial, além de palestras sobre criptografia na era da computação quântica e apresentação de cases como o de uso da biometria nas eleições pelo TSE; a adoção de biometria vocal pela Vivo; e a aplicação do reconhecimento facial na segurança pública pela Polícia Militar do Rio de Janeiro. A programação completa e mais informações estão disponíveis em www.mobi-id.com.br, ou pelo telefone 11-3138-4619, ou pelo email eventos@mobiletime.com.br.