O HarmonyOS, sistema operacional criado pela Huawei, deverá obter 2% do market share global em 2020. A estimativa foi feita pelo diretor de pesquisa de dispositivos e ecossistemas na empresa de estudos de mercado Counterpoint Technology, Neil Shah. Para ele, a maior parte do crescimento é esperado a partir das vendas de smartphones na China.

“Nossa suposição é de que a Huawei lançará um ou dois dispositivos rodando no HarmonyOS na China este ano e isso deve gerar algum volume. No próximo ano, a empresa deve lançar três ou mais”, disse ele para o site TechRadas Middle East.

Até o fim deste ano, Shah estima que a Huawei ganhe 0,1% de participação de mercado e chegue a um market share de 5% na China no quarto trimestre de 2020. No geral, para este ano, ele disse que o HarmonyOS terá 0,03% dos embarques totais da fabricante.

Segundo o diretor de pesquisa da Counterpoint, a Huawei não quer aborrecer o Google, dono do sistema operacional Android, parceiro até então da chinesa. Porém, deve lançar uma quantidade bem maior de dispositivos no mercado chinês nos próximos três ou quatro anos.

Samsung

Outro ponto analisado por Shah é que Samsung e LG poderiam adotar o HarmonyOS com foco em aumentar suas participações no mercado chinês, que, atualmente, representa menos de 1% para os fabricantes sul-coreanos. A vantagem é que por lá não há serviço Google Mobile do Android.

Vale lembrar que a Samsung lançou seu próprio sistema operacional, o Tizen, mas caiu do cavalo. O OS era voltado para smartphones de baixo custo, mas, atualmente, é usado em relógios inteligentes, TVs e outros produtos da linha branca.

HarmonyOS

No último dia 9 de agosto, a Huawei lançou seu sistema operacional HarmonyOS, conhecido como HongMeng, na China (e que significa harmonia, em chinês). Ele foi desenvolvido para ser de código aberto e pode ser aplicado em dispositivos inteligentes dos mais variados, como telas, sistemas de veículos, alto-falantes, relógios inteligentes, tornando o ecossistema integrado e compartilhado entre esses aparelhos. Richard Yu, CEO da Huawei Consumer Business Group, explicou que a empresa achou importante ter um OS com recursos aprimorados e uma plataforma conectada para ser usado em uma ampla variedade de dispositivos e plataformas, e que possa atender à demanda do consumidor por baixa latência e alta segurança.

Yu fez questão de frisar que o HarmonyOS é diferente do Android e do iOS, com uma arquitetura confiável, estável e segura, e apoia uma colaboração entre dispositivos. O desenvolvimento de aplicativos fica mais simplificado e pode ser implementado em diferentes dispositivos de maneira rápida e flexível.