O comércio por meio de dispositivos móveis deve chegar a 2,07 bilhões de usuários e US$ 693,3 bilhões em transações no mundo em 2019. Uma previsão bem superior aos 452,78 milhões de pessoas e US$ 50,92 bilhões em operações financeiras móveis de 2014, segundo a Ovum.

De acordo com estudo da empresa britânica de pesquisas e análise de mercado, China deve ser o principal fator para o salto no m-commerce. O país asiático deve chegar aos 370,29 milhões de usuários do comércio móvel em 2019, tornando-se a maior base do mundo. A economia chinesa deve contribuir com US$ 79,36 bilhões antes do fim da década, ficando atrás dos Estados Unidos em termos de transação.

No ano passado, a Ovum estima que foram US$ 96,3 bilhões em transações no comércio móvel. Para 2016, a expectativa é que alcance US$ 171,1 bilhões. Na previsão da empresa, o m-commerce deve sobrepor-se em usuários e valores ante as transações peer-to-perer (P2P) e pagamentos por proximidade (contactless).